Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
67 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55322 )
Cartas ( 21071)
Contos (12178)
Cordel (9606)
Crônicas (21333)
Discursos (3113)
Ensaios - (9920)
Erótico (13145)
Frases (40229)
Humor (17570)
Infantil (3576)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5419)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135945)
Redação (2881)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4238)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Amor eternamente -- 07/03/2004 - 16:00 (Leonardo Koury Martins) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Amor eternamente

Deitei e sonhei com algo que sentirei no futuro, que se desprenderá com o passar do tempo.
Senti uma vontade absurda de provar teus lábios em um canto que eu poderia fazer uma analogia a muros do interior, sim aqueles pequenininhos onde eram dados uns beijinhos, hoje alguns chamam isso de “dar uns pegas”, mas enfim, senti a enorme vontade de experimentar os teus lábios, sentir o cheiro da tua nunca e o furor de teus suspiros aos toques meus em tua cintura e aos beijos em teu pescoço, pois para mim teu corpo seria o pouso final de meus desejos, ou até mesmo o começo de todas vontades insanas que sinto hoje por ti.
Eu talvez me sentiria mais agradável assim, ao lado teu, sentindo teu corpo quente e que fosse naquele instante dado à vontade de corromper a minha moral sobre teu sexo, de me deixar prestes as loucuras que às vezes somente se tem coragem uma vez na vida.
Ah, se não fosse assim, eu fico a escrever estes pensamentos ou fico a sentir somente meu coração palpitar de emoção, isto pela chance deste desejo sonhado se transformar, daria tudo para que o futuro sempre fosse presente e não um dia vira-se passado.
È sim, à vontade de experimentar o gosto puro de teu sexo , e quem sabe de poder acariciar teus seios e por fim, me dar por quase vencido somente para ter o prazer de lhe ver deitada em meu peito, mesmo que por um tempo, para que este futuro não vire passado, que seja um círculo vicioso de amor.
Amor que sinto por ti, pela vontade de lhe ter em meus braços e pelas conseqüências dadas deste amor, assim daria mais vontade de dizer que te quero, que te amo.



Leonardo Koury Martins
Poeta e Cronista
PT-MG
Vice Presidente UMES-BH
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui