Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
20 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56828 )
Cartas ( 21161)
Contos (12584)
Cordel (10012)
Crônicas (22151)
Discursos (3132)
Ensaios - (8955)
Erótico (13388)
Frases (43349)
Humor (18383)
Infantil (3751)
Infanto Juvenil (2630)
Letras de Música (5464)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (138026)
Redação (2918)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2394)
Textos Jurídicos (1923)
Textos Religiosos/Sermões (4767)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Erótico-->AS AVENTURAS DO PADRE DEODORO EM CAMPOS ETÉREOS — XLIII -- 29/08/2003 - 06:40 (wladimir olivier) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
WLADIMIR OLIVIER

Nessa atitude de enleio filosófico e existencial, permaneceu durante a manhã toda, sem interrupções de qualquer espécie, seja pela vibração dos que desejavam prosseguir a caminhada longe da colônia, seja dos que haviam preparado o ambiente da classe que o receberia para o início da programação de caráter meramente escolar. Tanto a uns quanto a outros solicitou que o perdoassem e que lhe permitissem o acesso a todos os meandros disponíveis de sua constituição espiritual.

Emergiu das reflexões muitíssimo melhor disposto, cônscio de que poderia dar ao corpo espiritual o formato que quisesse, dominando inteiramente os fluidos energéticos de sua formação. Pediram-lhe, afinal, que se mantivesse com a aparência mais conveniente para o trabalho de professor que iniciaria, de sorte que preferiu estabelecer o princípio do vigor físico que possuía aos vinte e oito anos de idade, com certeza pela observação dos três professores presentes.

Foi assim que despertou para a nova existência de relacionamentos, permitindo que os planos dos companheiros fossem traçados:

— Peço aos amigos que me incluam em suas programações na qualidade de auxiliar e aprendiz. Quero principiar a carreira de socorrista como coadjuvante ativo mas não deliberativo, senão se instigado. Façam tábula rasa de todas as impressões que lhes transmiti e me aceitem de coração aberto. Em outras palavras: contem comigo para o que der e vier.

O amigo Joaquim assumiu o posto de coordenador dos debates:

— Primeiramente, solicito permissão aos dignos mestres presentes para dispor em ordem de prioridades o que deverá o grupo realizar.

Como assentissem, prosseguiu:

— Está muito claro que Deodoro percebeu a imensidão de roteiros a serem desenvolvidos intelectualmente a respeito das disposições emocionais, de sua compreensão e extensão, como também reconheceu que existem setores de atendimento fraterno que devem receber tratamento de emergência. Pelo que entendi, Roberto é quem precisa mais, porque deixou em suspenso um entendimento essencial para o resgate de débitos recentes e pungentes. Se alguém discordar, que se manifeste, caso contrário, assinalarei o item com o número um.

Não houve voz divergente. Joaquim continuou:

— Devo abrir um parêntese para que o meu xará exponha os projetos educacionais da “Escolinha de Evangelização” em que se encontra engajado Deodoro.

Era o que havia pedido mentalmente o professor, que se pôs a discorrer com extrema facilidade conceitual:

— Não existem, para os que buscam ajudar os semelhantes, prioridades, porque todos os trabalhos logram realizar-se concomitantemente, quando se dispõe de recursos logísticos adequados. Em nossa instituição, oferecemos equipes de auxílio devidamente apetrechadas para os casos de simultaneidade. Quando ocorrem grandes catástrofes, por exemplo, requisitam-se os serviços até dos que estão na retaguarda, dos técnicos e administradores, permanecendo em seus postos apenas os que mantêm o equilíbrio energético de defesa e de sustentação. Em tempos de guerras entre os encarnados (considerem-se as guerrilhas camponesas e as urbanas como não pertencentes ao quadro que estou descrevendo), deslocam-se para a crosta, organizadamente, multidões de socorristas, quando se unem as colônias para o recolhimento das vítimas e para a assistência moral dos sobreviventes. A respeito do sucesso desses empreendimentos, devo dizer que não se dá como gostaríamos. Relativamente à influência a se exercer sobre os dirigentes dos povos, cabe aos círculos mais elevados providenciar, como ainda no que respeita à contenção ou cerceamento da liberdade dos obsessores. Sendo assim, vocês podem sair em busca de restabelecer os liames de companheirismo de Roberto, dispensando Deodoro, que será substituído por alguém já experimentado no serviço, qualidade primordial se tiverem em mira aprender o mister. Peço-lhes que nos cedam o amigo, para que possamos dar cumprimento às deliberações da Governadoria quanto ao aproveitamento de seus talentos junto ao corpo docente, conforme já referido a ele anteriormente.

Voltou Joaquim, o padre, a compor a ordem do dia:

— Penso que ninguém se manifestará contrário à solicitação. Sendo assim, acato a sugestão do Professor e rogo-lhe que nos forneça o precioso cicerone, tendo em vista que do êxito da empresa é que resultarão as providências seqüenciais.

Deodoro via-se encalacrado e não escondeu as preocupações:

— Caros amigos, sinto-me como que menosprezado, porque querem dispor de mim e de minha vontade ao bel-prazer do instituto de ensino. Se me consultarem, vão ter uma surpresa desagradável, porque não vejo como contribuir para a colônia sem aperfeiçoar-me naquilo que me considero absolutamente carente. Agora que conheço como se dá valor aos irmãos, acho que, em qualquer setor das atividades de auxílio, estarei servindo melhor do que junto a um corpo docente que tem trabalhado sem a necessidade da contribuição de um velho religioso e professor de teologia. Não sei se estão os confrades esquecidos ou se desejam poupar-me quanto a possível repúdio à minha pessoa dos meus pais e de outras entidades que gostaria de ter recebido há pouco, junto com os mais caros, com os mais evoluídos, com os mais afáveis. Se o meu voto pode ser considerado, exijo que no roteiro conste a minha peregrinação à crosta e às trevas, sob controle e assistência de uma das equipes de socorristas, conforme ressaltado foi pelo Professor Joaquim. Admiro-me de não haver deliberado acompanhar Roberto no momento mais oportuno e disso começo a me arrepender. Se me disserem que só agora é que posso manifestar esse desejo.; que, antes, não progredira suficientemente para a deliberação.; que foi ao impacto das reflexões conduzidas pelos proficientes técnicos e cientistas que obtive a condição de relativo governo dos impulsos emotivos.; que a minha atual manifestação se produz cheia de contradições, porque a sensibilidade não se coaduna com as proposição intelectualizada.; devo redargüir, afirmando enfaticamente que me considero devedor de todos igualmente, a quem amo o bastante para abraçá-los, ao mesmo tempo que lhes peço, humildemente, perdão por oferecer resistência. De algum modo, censurei a cada um dos irmãos do grupo por fazerem prevalecer a sua vontade e não a do Pai, no momento de nossa separação. Vejo, agora, que deveria ter sido mais positivo.; menos zeloso da dignidade de merecer a proteção incondicional dos protetores e anjos guardiães.; mais generoso para com os amigos.; menos propenso a admitir que os meus vezos de autoridade eclesiástica sofreriam com a desonra de um trabalho menor ou mal sucedido. Peço perdão a Jesus, porque, sendo eu mestre entre os encarnados, queria ser respeitado também entre os do etéreo. Peço perdão a Deus, porque representou a minha atitude apenas egoísmo, vaidade e orgulho, além de outras manifestações de desequilíbrio evangélico. Disse muito bem o meu colega Joaquim que estou desejoso de discutir os processos de crescimento sentimental. Pois o que lhes estou transmitindo é tão-só o preâmbulo dos diálogos que pretendo manter com os íntimos, se assim deliberarem ajudar-me.

Pediu e obteve de Joaquim o Professor Mário permissão para falar:

— Sei que se permite estender-se o caro Monsenhor em tema de seu restrito interesse. Louvo-lhe que pretenda instruir-se e aos companheiros, mas lembro-lhe que providências se tomaram para o efeito que se alcançou em sua personalidade espiritual. Tendo em vista tais mecanismos socorristas não de seu domínio é que organizamos uma turma de alunos em condições de lhe seguir as explanações e discussões. Claro está (e lhe peço que compreenda) que anuiremos na pretensão de quantos se manifestarem a favor de se matricularem em seu curso, em sendo amigos queridos seus.; e, talvez, por isso mesmo. Seguir com o grupo há de ser muito bom, mas constituirá no avesso de sua afirmativa de ontem segundo a qual o que fazemos na colônia tem o mérito da sistematização. Não pelo fato de se instalar mais acomodado em sua psique emocional que irá o digno camarada permitir fragilizar-se no aspecto intelectual. Leve para si esta minha manifestação como a terceira lição prática que lhe ministramos e conceda-nos o benefício da satisfação de nos outorgar a responsabilidade de sua instrução perante os benfeitores da colônia.

O coordenador retomou seu encargo:

— A considerar o teor das explicações do amigo, todos nós teremos muito que aprender nesta instituição. Sendo assim, proponho para debate que, tão cedo nos vejamos liberados dos compromissos de ajuda mútua quanto aos nossos problemas pessoais, regressemos para cá e nos alistemos entre os alunos, segundo as propostas curriculares que melhor condizem com nossas necessidades.

Hermógenes completou:

— Quero crer que se deva ressalvar o fato de estarmos ou não preparados para a matrícula.

Enquanto os seis da viagem se punham de acordo a respeito das atividades que desenvolveriam extramuros, Margarida e Deodoro faziam planos para a próxima etapa existencial.


9. DESAGRAVOS


Uma semana depois, partiam em comitiva Deodoro, Margarida, Eufrásio, o Professor Joaquim e os dois guardiães, Arnaldo e Alfredo. Destinavam-se a um círculo próximo da esfera terráquea, local designado para os encontros entre os parentes reencarnados e o Monsenhor.

Naquele meio tempo, estiveram acompanhando a distância os trabalhos de aproximação entre Roberto e antigos companheiros muito endividados, homens e mulheres com fortes desvios na área do desempenho sexual.

Era uma espécie de treinamento a que se submetiam os que haviam ficado, embora insistisse o Professor Joaquim em que o fato de estarem recebendo em tela de televisão as imagens das longas conversações entre os desafetos, nem sempre pacíficas, não deveria iludir os que passariam pelas mesmas circunstâncias, dado que havia a necessidade de refrear os impulsos emotivos de ódio ou de repugnância. Houve mesmo uma sessão tumultuada, em que, após a devida preparação psíquica através de aconselhamento, de prece e de desinfecção afetiva, os ânimos tenderam, ainda assim, à exaltação, porque se abriram os canais de comunicação da atmosfera carregada pelos elementos de baixo teor sentimental. Precisaram os seis receber a assistência técnica dos encarregados da limpeza do organismo perispiritual, porque se deixaram fortemente impregnar pelos eflúvios da maldade que prepondera a partir da primeira esfera trevosa, quando se ultrapassam os limites do Umbral.

Foi a experiência mais pungente de quantas Deodoro se envolvera desde que regressara ao etéreo. Recordava-se, com clareza, das perturbações de outrora, mas as reações emotivas como que apenas se descreviam no livro da existência. Quando se sentia nostálgico e de ânimo arrefecido, solicitava que os protetores o auxiliassem a vencer os deslizes sentimentais. Era o momento em que Margarida se fazia presente com desvelos de enfermeira e carinhos de amante. Era o momento em que Eufrásio trazia o consolo da palavra extraída dos Evangelhos, pela citação sempre oportuna das passagens em que Jesus esclarecia os sofredores ou solicitava ao Pai o perdão dos algozes. Refeito o equilíbrio, surgia o Professor Joaquim para as apreciações pertinentes, segundo a demanda filosófica do assistido.

Agradabilíssima foi a notícia de que os pais estavam capacitados a compreender a necessidade do encontro com os que permaneciam no etéreo, embora não tivesse sido possível revelar-lhes o grau de parentesco das entidades.

Foi nessa ocasião que Deodoro e Margarida discorreram a respeito do passado, unindo as lembranças para o contexto em que as personalidades espirituais se depararam em todas as épocas. Ambos foram agasalhados na mesma família duas vezes, em encarnações diferentes, coincidindo apenas aquela em que Deodoro respondeu pelo nome de Antenor.

Ao estabelecerem o nível de relacionamento com os pais, desejaram saber se teriam aqueles a mesma capacidade de desvelamento do passado.

Explicou-lhes Joaquim:

— Certamente estarão obliterados pela inserção na carne. É de todo conveniente que não se acentuem os sofrimentos, para que a carga não se torne superior à capacidade de suportar. Quando observamos Roberto às voltas com as reações mais agressivas dos que se consideram vilipendiados por ele, sabemos que as sensações dolorosas estão ativadas ao máximo. Neste caso, a dor não extrapola os limites de tolerância, uma vez que existe um dispositivo consciencial, uma espécie de válvula de escape da pressão, que regula, através da consideração de que algo existe para ser pago, resgatado ou cobrado, o julgamento do quanto de injustiça se praticou contra aquela mesma entidade que se acusa. Aconselho vocês dois a que se resguardem quanto a todo sentimento de frustração que possam despertar as palavras carregadas de vibrações negativas que desejariam pronunciar ou que poderão ouvir. Se aceitarem uma sugestão, realizem um projeto de atuação fundamentado em sua própria experiência, tendo em vista que é muito recente a sua união fraterna. Sopesem o medo, a cólera, o ressentimento, a mágoa e demais processos de expiação a que se obrigaram mutuamente, para avaliarem o sistema de equilíbrio a ser adotado em caráter de emergência, se forem surpreendidos desagradavelmente pelas reações próprias e dos outros. E estipulem o preço a ser pago, em caso de se verificarem em débito, como ainda a forma de amortização. Não prometam muito, mas não deixem de realizar um mínimo.

Interpretando o sentimento do casal, Margarida fez questão de esclarecer que, após o levantamento de todas as desavenças entre seres tão íntimos, quedava um saldo positivo da parte dos pais. Não imaginavam, contudo, quais as cobranças que lhes seriam feitas por um e por outro.

Durante a primeira parte da deslocação para o local da reunião, cada qual foi realizando, da melhor forma que podia, as preces votivas de soerguimento moral. Poderiam ter optado por receber uma dose de sedativo, mas rejeitaram a hipótese de ficarem meio alheios aos acontecimentos. Preferiram correr todos os riscos, para poderem regressar completamente cônscios do estado psíquico das figuras paterna e materna.

Deodoro ia rememorando todas as discussões que antecederam a partida, temendo haver deixado algo importante sem providência. Lembrou-se de todos os defeitos do pai nas duas encarnações e estabeleceu segura comparação entre as atitudes dele, para caracterizar o que eliminara e o que atenuara. Deu ênfase à concordância com a irmã de que não deveriam expor a personalidade dele aos demais, como ainda de haver ocultado dela os acontecimentos que geraram certo desconforto dos vínculos afetivos, uma vez que descobrira um segredo do velho. Ficou satisfeito por não haver cometido a indiscrição, tantas eram as qualidades que reconhecia na caridosa figura que surtira dos sofrimentos perpassados no Umbral. Quanto à mãe, as reminiscências eram mais benignas, voltadas, sobretudo, para os cuidados com a saúde e com a educação dele e dos irmãos, na primeira e segunda infâncias. Como Deodoro se definira muito cedo pela vida segregada do seminário, não se vira rebelde na condição de adolescente, quando se tornou o xodó do casal pelo brilhante desempenho escolar e, mais ainda, durante os anos em que merecera ascender na hierarquia eclesiástica. Não queria pensar nos irmãos, para não se eivar de preconceitos através da suspeita de que teriam sido colocados em segundo plano na benquerença dos pais. Eles que se houvessem entre si.

Por seu turno, Margarida era menos severa nos conceitos, tendo em vista que lhe estavam mais apagadas na lembrança as peripécias de alguns séculos atrás. A recepção no ventre materno se dera em plena concordância de propósitos, induzida pelos benfeitores familiares, de forma que nada cobrava deles quanto ao histórico das perversões praticadas entre si. Alguns acontecimentos que ressumbravam como menos felizes coube a Deodoro retirar-lhe da memória, através da descrição psicológica que a convenceu do progresso dos pais. Considerava-se, portanto, mera companhia de Deodoro e auxiliar de Joaquim e de Eufrásio, tanto que já se entendera com os seus outros pais, os ulteriores, no ingente pedido de perdão que precisou diligenciar pelos insucessos da reencarnação, que se constituíram em provação involuntária mas proveitosa, no sentido do cumprimento da lei de causa e efeito, revertendo em profícuo avanço espiritual para os três. Por isso, não era afetada durante a viagem por maiores preocupações, permanecendo em preces de apoio ao companheiro.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui