Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
93 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55586 )
Cartas ( 21086)
Contos (12217)
Cordel (9652)
Crônicas (21424)
Discursos (3115)
Ensaios - (9924)
Erótico (13156)
Frases (40562)
Humor (17585)
Infantil (3581)
Infanto Juvenil (2319)
Letras de Música (5429)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136176)
Redação (2882)
Roteiro de Filme ou Novela (1041)
Teses / Monologos (2376)
Textos Jurídicos (1910)
Textos Religiosos/Sermões (4276)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->Rimas, amor ou ódio -- 07/03/2008 - 13:18 (maria da graça almeida) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Rimas, amor ou ódio
maria da graça almeida

Há quem condene a rima,
há que não viva sem elas.
O meu peito se anima
quando faço algumas delas.
Se rimar caiu de moda,
não se acanhe, meu amigo,
nem um pouco me incomoda,
que me tomem por antigo.

Estrofe, de rima, muda
é feito água sem sabão,
sem bom som, nem se iluda,
não se lava o coração.
Estrofe que não tem rima
é feito coleira sem cão,
feito cegueira de lima,
feito teto sem chão.

Pela música das rimas,
os precisos cordelistas,
nordestinos ou paulistas,
sei que têm grande estima.
Então, poetas modernos
delas nunca façam troça
ou, sem dúvida, ao inferno
mandarão a sua “bossa”.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui