Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
98 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54835 )
Cartas ( 21056)
Contos (12106)
Cordel (9509)
Crônicas (21076)
Discursos (3107)
Ensaios - (9896)
Erótico (13126)
Frases (39797)
Humor (17544)
Infantil (3558)
Infanto Juvenil (2308)
Letras de Música (5411)
Peça de Teatro (1309)
Poesias (135514)
Redação (2869)
Roteiro de Filme ou Novela (1034)
Teses / Monologos (2371)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4172)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->COM ADRIÃO NETO, O BRASIL LEVA JEITO -- 14/11/2003 - 00:32 (Adrião Neto) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos




COM ADRIÃO NETO, O BRASIL LEVA JEITO


Nelson Hoffmann (*)


Conheço o Adrião Neto há menos de dois anos. De nome, contatos; ainda não topei com sua pessoa, não o abracei. De modo físico, palpável, é claro. Moramos distantes, estamos nos quase dois extremos deste imenso país. Assim mesmo, correspondemo-nos sempre, telefonamo-nos seguido. Trocamos material de trabalho, informações, impressos. Impressões e idéias.
Por vezes, confesso, sinto arrepios, quase medo. O Adrião Neto está sempre em todos os lugares e tudo ao mesmo tempo. É um onipresente, um múltiplo. Sacudo-me, belisco-me, não consigo entender tamanha capacidade. Ele está em todas as frentes, batalha em todos os campos, luta por todas as causas. Culturais, quero dizer.
Abro uma revista, e lá avisto o Adrião, de smoking, na Academia Brasileira de Letras; troco por outra, e encontro o Adrião, de mochila às costas, em rodovias européias. Passo aos jornais, e lá está ele em seu gabinete de trabalho, diante do computador; vou aos livros, e encontro sua figura na velha Universidade de Coimbra, contemplando a História.
Adrião Neto está fazendo história. Não sei de outra pessoa, no Brasil, que esteja realizando tarefa tão profícua, tão ampla e tão brasileira de integração da cultura nacional. Num país em que a cultura é apanágio de poucos, onde esses poucos ainda se separam em pequenos grupos isolados, a cultura brasileira, como um todo, é quase utopia.
Não é utopia em definitivo porque Adrião Neto aí está. Piauiense de Luís Correia, reside em Teresina. Daí irradia-se para o Brasil e para o mundo. E realiza sua obra.
Dicionarista biográfico, historiador, antologista, articulista, ensaísta, poeta, contista e romancista, Adrião Neto é um trabalhador... frenético, como o definiu Osvaldo Monteiro. Sua obra de pesquisa, compilação e sistematização literária é realização das mais importantes deste final de século e milênio, no Brasil, e já lhe conferiu inúmeros títulos e prêmios. Todos merecidíssimos, por sinal, e, ainda assim, poucos.
Dentre a vasta bibliografia de Adrião Neto, destaca-se: “Dicionário Biográfico Escritores Piauienses de Todos os Tempos”, “Literatura Piauiense Para Estudantes” e “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos”. O primeiro é simplesmente o mais completo registro da memória literária piauiense, no dizer de Danilo Melo; o “Literatura Piauiense Para Estudantes” está em 6ª edição, devendo a 7ª , com textos inéditos, sair em Março do próximo ano. Só este detalhe, o das sucessivas edições, já atesta o alto valor da obra.
Quanto ao “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos”, aí está sua nova versão. Revista, melhorada e atualizada. Dentro da abrangência, minudência e fidelidade que só a capacidade organizacional e detalhista de Adrião Neto consegue impor. Até o momento, é o que existe de mais completo no país. Não está preso a nomes consagrados ou grupos ou academias ou escolas. Registra o Brasil inteiro, da cidade ao campo, da mata à praia. Esquece o Brasil arquipélago e erige o Brasil continente. Unido, integrado. Uno.
O “Dicionário Biobibliográfico de Escritores Contemporâneos” divulga e integra a cultura brasileira. Para tanto, é enviado para professores, jornalistas, críticos literários, bibliotecas, academias, universidades e outras instituições culturais e de ensino, do Brasil e do exterior. Além da obra, a sintetização dos dados de todos os participantes são divulgados através de site especial da internet, podendo ser acessada de qualquer parte do planeta.
O Brasil de Adrião Neto é a alma de seu povo. A alma de um povo está em todos os lugares, na terra, na gente. No Norte, no Sul, em todos os quadrantes. Nos sonhos mais abscônditos, nos horizontes mais longínquos.
A cultura é a manifestação da alma de um povo. Divulgar a cultura é mostrar realidades, as verdadeiras realidades de um povo, expandir seus sonhos, abrir seus horizontes.
Adrião Neto está abrindo horizontes, mostrando o Brasil. Um outro Brasil, o verdadeiro Brasil. Não o Brasil que a oficialidade da mídia quer, que os cenáculos das academias propõem. Não, este não!
O Brasil de Adrião Neto é o Brasil de todos nós. Um Brasil que tem alma, tem povo, tem cultura. Um Brasil que tem jeito, sim, que leva jeito, e muito, um Brasil em construção. Um Brasil, o brasileiro.


________________________
Escritor gaúcho. Autor de A Bofetada
(1978 – 1ª edição)
E-mail: n.hoffmann@via-rs.net
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui