Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
76 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56831 )
Cartas ( 21161)
Contos (12584)
Cordel (10014)
Crônicas (22151)
Discursos (3133)
Ensaios - (8956)
Erótico (13388)
Frases (43355)
Humor (18383)
Infantil (3751)
Infanto Juvenil (2630)
Letras de Música (5464)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (138029)
Redação (2918)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2394)
Textos Jurídicos (1923)
Textos Religiosos/Sermões (4770)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->UM PORTA-JÓIAS SEM DONO -- 17/08/2010 - 17:09 (José de Sousa Dantas) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
UM PORTA-JÓIAS SEM DONO
José de Sousa Dantas

Contemplei um PORTA-JÓIAS
num museu abandonado,
com RELÍQUIAS a seu lado:
cadeiras, malas, tipóias,
anéis, correntes e bóias...
dentro do bojo um tecido
com um feltro revestido
quase da cor de carbono.
Um PORTA-JÓIAS sem dono
me lembrou um amor perdido.

Um amor que no começo
era cheio de paixão,
numa perfeita união,
entusiasmo e apreço,
mas de tropeço em tropeço,
aquele doce cupido
foi perdendo seu sentido,
caindo no abandono.
Um PORTA-JÓIAS sem dono
me lembrou um amor perdido.

Era um amor exemplar,
bonito e surpreendente,
inusitado, envolvente...
sem limites de amar,
formando um romântico par
harmonioso e unido,
feliz e bem sucedido,
indo de outono a outono.
Um PORTA-JÓIAS sem dono
me lembrou um amor perdido.

Dois seres apaixonados,
unidos por muitos anos,
idealizaram planos,
a serem realizados,
mas depois de separados,
cada um desiludido,
com o coração partido,
enfrentou noites sem sono.
Um PORTA-JÓIAS sem dono
me lembrou um amor perdido.

Vendo aquele ESTOJO exposto
me deu logo a impressão
de uma separação –
– um amor que foi deposto;
mas num centro estava posto,
conservado e protegido,
pronto para ser vendido
e ocupar um novo trono.
Um PORTA-JÓIAS sem dono
me lembrou um amor perdido.

Há muito o que se contar
desse AMOR que fez história,
pela sua trajetória
venturosa e singular,
para se avaliar
o que tem acontecido
sobre um castelo caído
em ruína e desabono.
Um PORTA-JÓIAS sem dono
me lembrou um amor perdido.

Vi que ali tinha POESIA,
fui direto ao vendedor
para saber o valor
e acertamos a quantia,
consegui no mesmo dia
o TESOURO pretendido,
que se acha reunido
com os que coleciono.
Um PORTA-JÓIAS sem dono
me lembrou um amor perdido.

Versos de José de Sousa Dantas,
Mote de Daniel Duarte Pereira Sabiá.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 63Exibido 469 vezesFale com o autor