Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
100 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55236 )
Cartas ( 21066)
Contos (12158)
Cordel (9594)
Crônicas (21296)
Discursos (3112)
Ensaios - (9914)
Erótico (13140)
Frases (40130)
Humor (17565)
Infantil (3567)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5416)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135866)
Redação (2879)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4226)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->DIFERENTES AMORES -- 24/08/2010 - 13:20 (GERMANO CORREIA DA SILVA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
DIFERENTES AMORES
(Por Germano Correia da Silva


Eu ainda era uma criança
E já ouvia minha mãe falar:
Quem espera sempre alcança
E quem ama sabe perdoar...
Cresci e vi tudo mudado:
Vi o “amor” sendo execrado
E muitos deixando de amar

Nesse amor à moda nova
Que nós estamos vivendo
Se um deles desaprova
O que o outro está fazendo
Pouco diálogo é utilizado
E se tiver um “esquentado”
É o todo que sai perdendo

No amor à moda antiga
Nos tempos do meu avô
Ali também havia briga
Mas pouca gente descasou
O homem era mais prudente
Lá, gente gostava de gente
Mas hoje, “isso” acabou...

Parece até que os “amores”
Já estão meio globalizados
Sumiram os buquês de flores,
os amantes apaixonados...
Até o cortejo mudou de foco
Agora ele se opera “in loco”
E com o “aval” dos namorados

Há uma maneira de se “ficar”
Mas não se fica com ninguém
Fica-se aqui e depois acolá
E o dois sempre ficam sem...
Vão saindo e/ou vão ficando
Às vezes, até se revezando
Achando e deixando alguém

O amor vive meio “errante”
Sem rumo certo e/ou sabido
Por vezes, meio extravagante
Nem se vale mais do Cupido...
Tem hábitos de adolescente
E se não é um ser renitente
É audacioso e/ou atrevido

Esse amor que existe agora
Tem suas razões para ficar
Mandou a pureza ir embora
E pôs a prática em seu lugar
E se ninguém é de ninguém
Tanto faz ter como ficar sem
Não há o que se questionar
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 22Exibido 789 vezesFale com o autor