Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
79 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54796 )
Cartas ( 21052)
Contos (12086)
Cordel (9483)
Crônicas (21041)
Discursos (3105)
Ensaios - (9892)
Erótico (13118)
Frases (39763)
Humor (17540)
Infantil (3558)
Infanto Juvenil (2307)
Letras de Música (5410)
Peça de Teatro (1309)
Poesias (135477)
Redação (2869)
Roteiro de Filme ou Novela (1034)
Teses / Monologos (2371)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4164)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->A CASA DO INTERIOR -- 10/10/2010 - 01:15 (ANGELA FARIA DE PAULA LIMA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
A CASA DO INTERIOR

“Ai que saudades que eu tenho
Daquela tardes faceiras
À sombra das bananeiras
Debaixo dos laranjais”*
Era assim minha infância
Naquela casa amarela
Quintal enorme e pomar
Laranja doce no pé
Nada era assustador
Na casa do interior


E tinha o fogão a lenha
Da comida sempre boa
Preparada com tempero
Inventado pela avó
Aquela receita antiga
Secreta qual ouro em pó
Que passa de mãe prá filha
Guardada a sete chaves
E feita com muito amor
Na casa do interior!

Tinha um gato na janela
Tinha guirlanda de flor
Ah que saudades eu tenho
Do clima de tanto amor!
Era a meninada toda
Debaixo do cobertor!
A chuva caindo fina
Risada rolando solta
Café quente de coador
Na casa do interior


No quarto, quanto brinquedo!
Colchas sempre coloridas
À noite quantas estórias
Atiçavam nossa mente
Era o saci pererê
Era cobra, boitatá
Era o fantasma da estrada
Enchendo-nos de terror
Mas tudo se dissipava
Na casa do interior!


Ainda tinha o riacho
Que a mim parecia largo
Só hoje que percebi
Que na verdade cresci!
Minha saudade insiste
Mas a alegria resiste
Aos mais densos temporais
Fui feliz quando criança
E ainda resta a esperança
De voltar pro interior!

10/10/2010

*Casimiro de Abreu
Comentários

FATIMA  - 13/12/2010

minha querida amiga, vc como sempre nos encantando e nos fazendo reviver momentos preciosos da nossa infância né?
Parabéns pelo encanto dos seus contos hehehe
Beijão amiga!

José de Sousa Dantas  - 31/10/2010

Parabéns Angela pelo poema, em que me inspirei para fazer essa estrofe:

Eu nasci no interior
e vivi nesse ambiente,
passa um filme em minha mente
desse mundo encantador,
de beleza e esplendor,
que me enche de emoção,
trazendo a recordação
daquele tempo primeiro.
Inda hoje eu sinto o cheiro
do interior do sertão.

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 61Exibido 561 vezesFale com o autor