Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
33 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55447 )
Cartas ( 21078)
Contos (12180)
Cordel (9615)
Crônicas (21378)
Discursos (3114)
Ensaios - (9921)
Erótico (13151)
Frases (40385)
Humor (17575)
Infantil (3578)
Infanto Juvenil (2314)
Letras de Música (5425)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136054)
Redação (2881)
Roteiro de Filme ou Novela (1040)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1909)
Textos Religiosos/Sermões (4247)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Mais que um simples espelho d água -- 11/01/2004 - 20:38 (Thelma Regina Siqueira Linhares) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
MAIS QUE UM SIMPLES ESPELHO D’ÁGUA (*)
Thelma Regina Siqueira Linhares (**)

Mais que um simples espelho d’água a refletir belezas urbanas, o rio Capibaribe, poderia ser a imagem do respeito ao meio-ambiente, o símbolo do desenvolvimento sustentável de um povo que há muito se auto-proclamou “leão do norte”.
Verdade que, em sua nascente no Agreste, é frágil e cristalino e, à medida que corre em direção às águas tépidas do Oceano Atlântico, banhando dezenas de cidades e paisagens pernambucanas, tem seu leito acrescido por mais de meia centena de afluentes. E vai ficando forte, imponente e... poluído. Especialmente nesse último século, sentiu a degradação em suas próprias águas a repercutir, ainda, neste milênio. O desenvolvimento urbano, o aumento populacional, o progresso e a falta de políticas públicas que visem à melhoria da qualidade de vida e o respeito ao meio-ambiente, entre outros fatores, são refletidos em suas águas. Adoecendo-as. Poluindo-as.
Mais que um simples espelho d’água a refletir belezas urbanas, o rio Capibaribe, merecia ser mais que cartão postal a percorrer o planeta, em cujas imagens não captam suas águas fétidas, seu frágil ecossistema minado por esgotos, seu manguezal aqui e ali buscando sobreviver... Assim, fotografado, filmado, postado, incorporado às lembranças e eventos turísticos, o mais recifense dos rios pernambucanos, segue o seu destino. Único e múltiplo em si mesmo.
Mais que um simples espelho d’água a refletir belezas urbanas, o rio Capibaribe, deveria ser a inspiração maior de poetas pernambucanos que buscaram e buscam na natureza a melhor palavra. Favorecer alumbramentos, sempre! E não mais ser a trilha de Severinos e Severinas.
Mais que um simples espelho d’água a refletir belezas urbanas, o rio Capibaribe,
deveria participar, efetivamente, da vida de um povo, com seus acertos e desacertos históricos. Testemunhando. Interagindo. Influindo. Presente na construção cultural dos que aqui habitam e dividem o espaço geográfico com o rio das capivaras. Antes que seja, definitivamente, descapibaribado.

(*) Texto classificado em 2º lugar no 1º Concurso de Contos e Crônicas Luis Jardim (2003), promovido pela Biblioteca Popular de Casa Amarela e Prefeitura da Cidade do Recife.
(**) Professora, pesquisadora do folclore brasileiro e escritora.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui