Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
49 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56399 )
Cartas ( 21119)
Contos (12482)
Cordel (9833)
Crônicas (21793)
Discursos (3122)
Ensaios - (9978)
Erótico (13197)
Frases (41437)
Humor (17685)
Infantil (3603)
Infanto Juvenil (2328)
Letras de Música (5445)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (136907)
Redação (2885)
Roteiro de Filme ou Novela (1048)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4473)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->Embate entre a privada e o bidê -- 08/09/2014 - 10:07 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Diz a privada pro bidê,

que inveja tenho de você

nádegas louçãs a deslizar

e você, além de admirar

a esguichar sempre pronto

de fadas não é um conto?


Pois veja como a vida é

seu lugar me é mais de fé

minha cara privada

se comigo bunda é lavada

é parte da profissão

esguicho sim, mas olho não


Mas como é que não olha

se a todas elas molha

tou certa de que as penetra

ainda que de forma discreta

e além da boa lavagem

quem sabe dá sacanagem?

Vire pra lá essa boca

comadre, cê ficou louca?

é bem limpo o meu serviço

e nunca jamais passo disso


Mas voltemos a você

estou certo de que mais vê

Vejo o que não concebo

e cê sabe o que recebo

sou a salvação de toda hora

conheço até muito u que chora

mas a descarga é minha sorte

sem ela, me leva o odor à morte


Eu concordo com você nesse ponto

seu vizinho já fiquei tonto

mas mesmo quem chega de costa

ainda assim de você bem gosta

e como não ser querida

aliviando tanta vida?


Mas quem acerta na bigorna

é você, compadre, com sua água morna

e comigo, vamos, deixe de treta

vai me dizer que não gosta de uma

prum negócio tão aveludado

seu esguicho não é melhor jorrado?


Disso me queixar não posso

mas se o esguicho não engrosso

chego a ser maltratado

às vezes até ignorado

e com a infâmia me pagam

quando em mim, por desdém,cagam

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui