Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
70 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54806 )
Cartas ( 21052)
Contos (12086)
Cordel (9484)
Crônicas (21045)
Discursos (3105)
Ensaios - (9892)
Erótico (13118)
Frases (39762)
Humor (17540)
Infantil (3559)
Infanto Juvenil (2307)
Letras de Música (5410)
Peça de Teatro (1309)
Poesias (135479)
Redação (2869)
Roteiro de Filme ou Novela (1034)
Teses / Monologos (2371)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4164)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->Nunca pensei que depois ... -- 26/12/2015 - 21:42 (Armando A. C. Garcia) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Número do Registro de Direito Autoral:148224913335956800




Nunca pensei que depois ...





Nunca pensei que depois ...

de tantas promessas de amor

mudasses pra outros sóis

deixando-me na pior



Nunca pensei que depois ...

do sofrimento e da dor

tudo acabasse entre nós dois

num futuro promissor



Nunca pensei que depois ...

não quisesses mais saber

do compromisso a dois

que tanto me fez sofrer



Nunca pensei que depois ...

não conseguiria esquecer

nunca pensei que depois ...

viveria sem te ver !



Nunca pensei que depois ...

desfeita tal, impusesses

que minha alma corrói

e de pensar estremece



Nunca pensei que depois ...

alguém que gosta de nós

me deixasse em maus lençóis

sem desdar os górdios nós



Nunca pensei que depois ...

de tamanha ingratidão

sofrendo como os heróis

amargura e decepção



Nunca pensei que depois ...

indiferente à razão

tal como os girassóis

viraste a direção

e a outro deste a mão



Nunca pensei que depois ...

este mal que se não vê

de tristeza está, pois

fingindo, nem sei o quê



Nunca pensei que depois ...

terminaria meus versos

só falando de nós dois

pensei, pensei que depois ...



Diferença instransponível

existente entre nós dois,

de não ser absorvível,

só o vim pensar depois ...



E eu, que pensei que seria

tão forte como um leão

só do seu uivo, tremia

o meu pobre coração !
Vejo o  antes... e o depois...


Porangaba, 26/12/2015

Armando A. C. Garcia



Visite meu blog:

http://brisadapoesia.blogspot.com



Direitos autorais registrados

Mantenha a autoria do poema


Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui