Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
130 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56625 )
Cartas ( 21128)
Contos (12502)
Cordel (9854)
Crônicas (21854)
Discursos (3121)
Ensaios - (9995)
Erótico (13199)
Frases (41612)
Humor (17733)
Infantil (3604)
Infanto Juvenil (2332)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137016)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4500)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->O FIM DA PRIMAVERA ÁRABE -- 16/08/2013 - 23:00 (Edmar Guedes Corrêa****) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Como era de se prever, a mais recente tentativa egípcia de se tornar uma democracia está naufragando num mar de sangue, onde o resultado pode ser uma ditadura ainda mais cruel que a de Hosni Mubarak, derrubada há pouco mais de dois anos numa revolta popular que também deixou centenas de mortos e milhares de feridos. Embora o país tenha passado por eleições presidenciais, as quais foram livres e democráticas, o primeiro presidente democraticamente eleito não correspondeu às aspirações populares e frustrou não só os egípcios como também a comunidade internacional. Talvez o maior erro dos egípcios tenha sido exatamente esperar mais do que a sua frágil democracia poderia lhes oferecer. O Egito não estava preparado para uma democracia à moda ocidental e menos ainda para um governo de forte influência muçulmana como era do presidente eleito Mohammed Mursi, cujo partido, a Irmandade Muçulmana, tem forte ligações com os movimentos religiosos. E os militares, ao tentar remediar o erro cometido pelos egípcios nas urnas, derrubando Mursi e o governo da Irmandade Muçulmana e pondo um governo interino em seu lugar, acabou dividindo o país entre aqueles que exigem a volta do presidente deposto e aqueles que apoiam o governo interino a fim de preservar o estado laico. Os ânimos se acirraram a tal ponto que um confronto entre as forças do governo e os apoiadores do presidente deposto foi inevitável, levando o país ao caos e talvez a uma guerra civil. E mesmo que não chegue a tanto -- se isso vier a ocorrer poderá mergulhar não só o Egito mais todo o Oriente Médio numa Guerra Civil como ocorre na Síria --, a Primavera Árabe e o sonho de democracia naquela região do Oriente Médio chegou ao fim. A população dos países que resistiram até o momento às manifestações por democracia, diante do caos nos vizinhos, sentir-se-á desencorajada a sair às ruas, uma vez que pior que um governo autoritário é não ter governo algum, onde impera tão somente o caos. Infelizmente os acontecimentos na Síria e no Egito decretaram o fim de uma revolução que parecia estar prestes a mudar todo o Oriente Médio. Talvez aquela região tenha de esperar mais 30 ou 50 anos para que algo de novo e realmente significante possa surgir.




LEIA TAMBÉM:
A DEMOCRACIA DOS PAÍSES ÁRABES
UMA ILUSÃO
PROCURANDO SER FELIZ
FOLHA EM BRANCO
O HOMEM: ETERNA OBRA EM CONSTRUÇÃO
COISAS PARA AS QUAIS NÃO NASCEMOS
GRANDES PENSAMENTOS(72)
DIRETO AO PONTO
SINAIS DE UMA NOVA ERA
A BUSCA DO PRAZER
A TERRA EM EFERVESCÊNCIA
A LIBERALIZAÇÃO DAS DROGAS
MITO DA CAVERNA E CRISTIANISMO
NOSSAS VERDADES
INTERMINÁVEL SATISFAÇÃO
FALTA DE PROFUNDIDADE
POR PATES
FRUTOS DA CIÊNCIA
GRANDES PENSAMENTOS(71)

NÃO DEIXE DE LER: 30 TEXTOS MAIS LIDOS DA USINA NOS ÚLTIMOS 6 MESES

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 256Exibido 611 vezesFale com o autor