Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
39 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55811 )
Cartas ( 21100)
Contos (12358)
Cordel (9728)
Crônicas (21554)
Discursos (3119)
Ensaios - (9940)
Erótico (13166)
Frases (40884)
Humor (17604)
Infantil (3595)
Infanto Juvenil (2322)
Letras de Música (5433)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136373)
Redação (2882)
Roteiro de Filme ou Novela (1045)
Teses / Monologos (2377)
Textos Jurídicos (1911)
Textos Religiosos/Sermões (4393)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->GRANDES PENSAMENTOS(73) -- 19/08/2013 - 11:00 (Edmar Guedes Corrêa****) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
David Hume é um daqueles pensadores com o qual tenho imenso respeito e admiração. Talvez porque no seu pensamento encontro muito daquilo acredito, como por exemplo, ao não admitir que a moral possa fundar-se em bases eternas. E dentre seu vastíssimo pensamento, escolhi um trecho do ensaio intitulado “O Cético” que consta na pagina 167 do volume dedicado a Hume na coleção “Os Pensadores” da Editora Abril, edição de 1989.

“Quando refletimos sobre a brevidade e a incerteza da vida, quão desprezíveis parecem todas as nossas buscas por felicidade? E, mesmo que a nossa preocupação não se resuma a nossa própria vida, quão frívolos parecem os nossos projetos mais grandiosos e mais generosos, quando pensamos nas incessantes mudanças e revoluções das coisas humanas, por meio das quais as leis e a cultura, os livros e os governos são arrastados pelo tempo, como por uma violenta correnteza, e se perdem no imenso oceano da matéria! Tal reflexão seguramente tende a mortificar todas as nossas paixões. Não ajuda ela, porém, a desse modo contrabalançar o artifício da natureza que felizmente nos leva ao engano de acreditar que a vida humana tem alguma importância? E não poderia tal reflexão ser utilizada com sucesso por pensadores voluptuosos, com o intuito de nos afastar dos caminhos da ação e da virtude em direção aos campos floridos da indolência e do prazer?”


ENCONTRE-ME TAMBÉM:
NO ORKUT
NO FACEBOOK
TWITTER


LEIA TODOS OS TEXTOS DA SÉRIE "GRANDES PENSAMENTOS"
(01) (02) (03) (04) (05) (06) (07) (08) (09) (10) (11) (12) (13) (14) (15) (16) (17) (18) (19) (20) (21) (22) (23) (24) (25) (26) (27) (28) (29) (30) (31) (32) (33) (34) (35) (36) (37) (38) (39) (40) (41) (42) (43) (44) (45) (46) (47) (48) (49) (50) (51) (52) (53) (54) (55) (56) (57) (58) (59) (60) (61) (62) (63) (64) (65) (66) (67) (68) (69) (70) (71) (72)



LEIA TAMBÉM:
O FIM DA PRIMAVERA ÁRABE
A DEMOCRACIA DOS PAÍSES ÁRABES
UMA ILUSÃO
PROCURANDO SER FELIZ
FOLHA EM BRANCO
O HOMEM: ETERNA OBRA EM CONSTRUÇÃO
COISAS PARA AS QUAIS NÃO NASCEMOS
GRANDES PENSAMENTOS(72)
DIRETO AO PONTO
SINAIS DE UMA NOVA ERA
A BUSCA DO PRAZER
A TERRA EM EFERVESCÊNCIA
A LIBERALIZAÇÃO DAS DROGAS
MITO DA CAVERNA E CRISTIANISMO
NOSSAS VERDADES
INTERMINÁVEL SATISFAÇÃO
FALTA DE PROFUNDIDADE
POR PATES
FRUTOS DA CIÊNCIA
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 265Exibido 602 vezesFale com o autor