Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
42 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56732 )
Cartas ( 21160)
Contos (12583)
Cordel (10005)
Crônicas (22134)
Discursos (3130)
Ensaios - (8936)
Erótico (13379)
Frases (43209)
Humor (18337)
Infantil (3739)
Infanto Juvenil (2599)
Letras de Música (5463)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137959)
Redação (2915)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2387)
Textos Jurídicos (1922)
Textos Religiosos/Sermões (4727)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->O batente de pau do casarão -- 30/08/2017 - 14:25 (Carlos Alê) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


Recordando meu tempo de criança
não esqueço a morada do passado
Dois andares do jeito de sobrado
como ainda conservo na lembrança
Mas o tempo incessante que avança
tudo abarca fazendo alteração
Um incêndio em nossa construção
fez de tudo rescaldo de queimado
só ficando pra nós como legado
o batente de pau do casarão

A família ainda se recorda
do sobrado já sendo construído
Começando no piso foi erguido
com telhado subindo pela borda
Nostalgia é algo que transborda
nas conversas de uma reunião
se alguém comovido faz menção
que no dia da casa ser pintada
fora feita a primeira pincelada
no batente de pau do casarão

Nosso pai delegou a uma filha
contratar o carreto da mudança
Eu ainda mantenho na lembrança
a viagem que fez toda família
No momento de ver nossa mobília
já descendo do grande caminhão
um roupeiro que nessa ocasião
precisava de três pra carregar
deu trabalho na hora de passar
no batente de pau do casarão

As visitas que a gente recebia
desfrutavam da nossa acolhida
e na hora de dar a despedida
prometiam voltar em outro dia
Mas na porta da nossa moradia
nosso pai como bom anfitrião
ao depois de fazer a saudação
sempre com um abraço apertado
esticava a conversa escorado
no batente de pau do casarão

Não se pode fazer o inventário
de quem já circulou em uma casa
A saudade que vem e extravasa
não aceita uma data em calendário
Se na casa não tinha algum horário
com frequência de grande multidão
o sobrado virava num saguão
se a mãe para festa convidava
Era toda família que passava
no batente de pau do casarão

Pra memória das gerações futuras
levantamos sublimes monumentos
festejando na pompa dos eventos
os acervos de grandes esculturas
Galerias repletas de pinturas
ou espólios comprados em leilão
Mas sem ter o prestígio e projeção
dos tesouros que a isso se agrega
nosso afeto ainda se apega
num batente de pau do casarão
 
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui