Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
58 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56298 )
Cartas ( 21150)
Contos (12562)
Cordel (9930)
Crônicas (22047)
Discursos (3130)
Ensaios - (9087)
Erótico (13313)
Frases (42727)
Humor (18162)
Infantil (3685)
Infanto Juvenil (2480)
Letras de Música (5460)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137611)
Redação (2901)
Roteiro de Filme ou Novela (1050)
Teses / Monologos (2384)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4588)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->NÃO QUEIRA SER O DEFUNTO MAIS RICO DO CEMITÉRIO -- 06/05/2019 - 18:47 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Só temos uma certeza

Que vamos morrer um dia

Isso não é bruxaria

Não importa sua riqueza

Muito menos sua beleza

E nem seus despautérios

Ou se era um homem sério

Um dia serás um presunto

Não queira ser o defunto

Mais rico do cemitério.

 

Desfrute sempre da vida

Dela o quê há de melhor

Pois um dia estarás só

Na tua última guarida

Não levarás nem comida

E também não há critério

Se tens ou não um império

Na morte estamos juntos

Não queira ser o defunto

Mais rico do cemitério.

 

Para que tanto dinheiro,

Desespero por poder,

Sem pensar em quem vai doer

Se nosso fim derradeiro

É num pedaço de terreiro

Sem ter qualquer refrigério

Nesse ou noutro hemisfério

Na cidade dos pés juntos

Não queira ser o defunto

Mais rico do cemitério.

 

 

HENRIQUE CÉSAR PINHEIRO

FORTALEZA, MAIO/2019

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui