Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
70 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55575 )
Cartas ( 21086)
Contos (12212)
Cordel (9651)
Crônicas (21422)
Discursos (3115)
Ensaios - (9924)
Erótico (13156)
Frases (40556)
Humor (17584)
Infantil (3581)
Infanto Juvenil (2319)
Letras de Música (5429)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136172)
Redação (2882)
Roteiro de Filme ou Novela (1041)
Teses / Monologos (2376)
Textos Jurídicos (1910)
Textos Religiosos/Sermões (4276)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->O Zé entre o amor, pobre e rico -- 30/04/2007 - 19:31 (Leonardo Koury Martins) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O Zé, entre o amor, pobre e rico


Como um dia qualquer, uma pessoa qualquer chamada Zé, ou melhor, nome de Batismo José da Silva, um brasileiro comum, um homem normal, pobre do Zé, entre o amor de sua vida, entre o seu futuro no bilhar, o pobre do Zé estava passando uma época difícil.

Não merecia nada, e quando começou a ver que a sua sorte estava mudando, mesmo que no meio do bilhar de aposta, veio a tal Maria, moça trabalhadeira, de respeito, coisa que o Zé procurava há tempos e somente encontrou nesta que hoje é sua noiva, mas ela tinha um problema, dinheiro de jogo não entra no prato pela sua visão de mulher honesta.

Como poder entender a cabeça de uma mulher, dizia o Zé pelos corredores da vila em que morava desde criança, já Maria dizia também, porque os homens sempre querem crescer de vida rápido, como entendê-los.

Mas Maria não entendia que não era questão de ser pobre ou rico, de ser bem sucedido ou não, era uma diversão virou dinheiro, fez o Zé abandonar tudo e virar malandro.

Enfim, entre o amor e o dinheiro, o sucesso ao sossego, um homem e uma mulher, com um destino danado de verdadeiro pensa, age, mas não muda, não muda seus hábitos, nem mesmo o amor que sente.

No de repente da história vem Maria, com sua sacola e o dinheiro dado pela quase mãe que na verdade era tia, abandonar o Zé, pobre do Zé, ficou sozinho, sem carinho, com um taco de bilhar sem bola, sem mesa. Ninguém mais chega com a janta e amor de sobremesa.

E vai indo, o dinheiro passa, o amor passa, agora ele tem uma loira que se chama Luiza, “eita” Zé quando você vai aprender a escolher direito!




Leonardo Koury Martins
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui