Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
31 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56723 )
Cartas ( 21160)
Contos (12583)
Cordel (10005)
Crônicas (22134)
Discursos (3130)
Ensaios - (8936)
Erótico (13378)
Frases (43199)
Humor (18335)
Infantil (3739)
Infanto Juvenil (2597)
Letras de Música (5463)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137948)
Redação (2915)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2386)
Textos Jurídicos (1922)
Textos Religiosos/Sermões (4723)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->CANTO MÚSICA CANTADA -- 10/04/2008 - 15:53 (João Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
CANTO MÚSICA CANTADA

Juan de la ville

10 de abril de 2008



O que dizer em verso sobre a cantada como canto e como música?

Apenas lembrar que o hábitat da música

Assenta na natureza como o hábitat do canto assenta na natureza e o da cantada também!

Se a música é em si mesma uma onda sonora e o canto uma onda sonora é

Se distinguem minimamente da cantada que é também uma onda sonora expressiva e verbal

Entre as três entidades há uma profunda aproximação enquanto são ondas apenas separadas por um pequeno biombo que as torna vizinhas

As três são ondas

As três são sonoras

E só a cantada é sonora e verbal

Sendo ondas sonoras são torrentes

São linhas de comunicação

E têm capacidade de transmissão com fim de linha sonorizante!!!

Se a música como dizem os entendidos é para alegrar para entreter para deleitar para acordar e para sublimar

E se o canto é para surpreender e solenizar o direito autoral de o pássaro cantar

Diremos que o canto então concorre para libertá-lo cosmicamente

A começar pelo seu olhar vago e triste

Na hora em que se sente um sabiá solitário

No cimo da árvore ou do galho

Quando elabora seus poemas sonoros para fêmeas ausentes

É então que o canto rompe a solidão do mundo

Instaura a melodia e a mensagem e leva na voz a cor das penas

A forma do bico e a destreza e força da glote

Que apura a musicalidade mensageira que promete satisfação

A cantada por seu lado nasce algures

Irrompe nos espaços livres

Diante da assombração do desejo e da libido abstrata

Tem ondas e caminhadas ocultas e sombrias

Que alegram e assombram perceptíveis intuições

E visa espaços secretos em tempos ociosos de atenção

As cantadas são rituais sociais de labirintos

Que se expandem e se erguem

Vindos do inconsciente e dos corredores biolibidinais

E se soltam quais tochas ardentes

Querendo armar uma procissão de trevas

Como a de sexta-feira santa nas ruas de Ouro Preto e de Mariana

Cantada é um ritual masculino e feminino que Elabora recados mistos para armação arquetípica

De um jantar romântico diante de velas simbolicamente ou não

Cantada é cantada, puro canto de pássaros reclusos

Que tentam se libertar em florestas de aventura!



Juan de la Ville

Alto da Serra, 10 de abril de 2008

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 73Exibido 484 vezesFale com o autor