Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
111 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56920 )
Cartas ( 21134)
Contos (12535)
Cordel (9883)
Crônicas (21940)
Discursos (3125)
Ensaios - (10032)
Erótico (13216)
Frases (41984)
Humor (17836)
Infantil (3614)
Infanto Juvenil (2349)
Letras de Música (5450)
Peça de Teatro (1313)
Poesias (137255)
Redação (2893)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2382)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4538)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Infantil-->O dragão inofensivo -- 07/07/2003 - 17:58 (José Ronald Cavalcante Soares) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O dragão, sem poder recarregar as baterias que alimentam o seu fogo interior, ficou babaca junto às colunas do castelo. Encolheu o rabo, cruzou os braços e ficou, com o olhar vazio, contemplando o firmamento.
Melissa perdeu todo o medo. Correu e passou por entre as pernas do dragão, que nem se moveu. A menina, quando passava por debaixo do monstro, sentiu um forte odor de pipi. Sim, o dragão estava tão apático que satisfazia suas necessidades ali mesmo no seu antigo posto de guardião.
A megera Silbiline, cansada de tanto fazer sofrer os moradores da corte, tomara um porre tão violento que soluçava sem parar e não tomava conhecimento de coisa alguma, por tal razão o fornecimento de fogo e calor para o dragão ficou suspenso e todo aquele complexo do mal degringolou.
Dr. Sasso estava feliz: as ruas da vila real estavam cheias de algazarra das pessoas que cantavam e comemoravam a liberdade.
Não existe tormenta que dure para sempre!
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui