Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
29 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56454 )
Cartas ( 21157)
Contos (12576)
Cordel (9978)
Crônicas (22088)
Discursos (3130)
Ensaios - (8877)
Erótico (13329)
Frases (42886)
Humor (18233)
Infantil (3705)
Infanto Juvenil (2521)
Letras de Música (5461)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137744)
Redação (2907)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2385)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4620)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->WINNIE -- 17/01/2010 - 01:41 (João Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
WINNIE

Jan Muá

Porto,16 de janeiro de 2010



Winnie agora é a princesa

Sem contestação

Do Haiti



Ganhou a realeza

Ao sair viva

Tranquila

E ilesa

Dos escombros de sua casa

Em Port-au-Prince



É criança de 18 meses

Órfã haitiana

Marcada por três dias trágicos

Em sua biografia



Herdeira agora de um futuro

De heroína reconhecida

A história dirá dela

Que renasceu para a vida

Ao terceiro dia

Depois da fatídica destruição de um apocalíptico terremoto em sua terra



E só porque usou a vozinha sagrada

De criança

Só porque chamou e chorou

E só porque uma TV australiana

De grande sentido humano

Em operação entre os escombros

Teve sensibilidade para escutar

Seu chamado infantil

Winnie voltou a ser criança viva



Foram 45 minutos de pacientes escavações

À mão

Cautelosamente

Para não a machucar



Winnie estava ali vivinha da silva

E foi retirada e libertada

Das ruínas de sua casa



De rostinho tranquilo

Talvez bastante espantada

Mostrou-se ao mundo na TV

E o mundo ficou emocionado

Quando viu sua figurinha no colo

Do tio Franz

A contrastar com tantas ruínas e cenas macabras

De uma cidade destruída



O episódio de Winnie

Mostra para a comunidade internacional

O rosto da infância esperança

De um país a reconstruir

E a se levantar.



Porto, 16 de janeiro de 2010

Jan Muá





Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 73Exibido 227 vezesFale com o autor