Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
120 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56473 )
Cartas ( 21121)
Contos (12490)
Cordel (9844)
Crônicas (21812)
Discursos (3123)
Ensaios - (9984)
Erótico (13198)
Frases (41503)
Humor (17697)
Infantil (3604)
Infanto Juvenil (2328)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (136963)
Redação (2885)
Roteiro de Filme ou Novela (1048)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4478)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->MEU AVESSO -- 09/10/2010 - 08:22 (Maria Hilda de J. Alão) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
MEU AVESSO

Maria Hilda de J. Alão


Sobe a espiral de incenso.
De mãos postas eu me levanto,
Das palavras sinto o encanto
E o perfume no ar suspenso.

Há muita paz no ambiente.
Deus está aqui, eu penso,
E o sol de brilho intenso
Resplandece como a fé da gente

Orando fervorosamente.
Em mim se faz a harmonia,
O momento é pura poesia
E o incenso envolvente

Não evola indiferente.
Ele penetra as entranhas
E cheio de artimanhas
Faz-me ver que realmente

O Pai está em sintonia
Com seu amor e doçura.
A loa sai da partitura
Nas vozes do coral, alegoria

De anjos feitos de gesso.
O canto penetra minh’alma
E tudo no universo se acalma.
Senhor, não conhecia meu avesso!

Vi minh’alma como a fizeste,
Simples sem a capa da vaidade
E neste instante de humildade
Agradeço a vida que me deste.

09/10/10
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 27Exibido 530 vezesFale com o autor