Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
64 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56026 )
Cartas ( 21109)
Contos (12422)
Cordel (9784)
Crônicas (21648)
Discursos (3119)
Ensaios - (9949)
Erótico (13190)
Frases (41101)
Humor (17624)
Infantil (3597)
Infanto Juvenil (2324)
Letras de Música (5441)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136584)
Redação (2884)
Roteiro de Filme ou Novela (1047)
Teses / Monologos (2382)
Textos Jurídicos (1914)
Textos Religiosos/Sermões (4451)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Flor morena -- 11/02/2011 - 21:36 (Ricardo Marques) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Flor Morena


Minha fantasia, vejo no teu inebriante sorriso largo,
Um regato sinuosamente calmo, a correr mansamente,
Na imensidão de teu negro olhar, eu me farto,
Teu bucólico corpo provocador, dum brilho ardente,


Encanta minh `alma, em ti serena,
Cheia de pétalas, como num vaso em flor,
Tudo que toco, sinto teu cheiro de morena,
Uma rosa cálida, de raríssimo esplendor,


No rosto teu, vejo aflorar uma menina mulher,
Onde a mulher implorava....., por qualquer saudade,
Já a menina não sabe muito bem o que quer,
Num misto sedutor, e ao mesmo tempo sem maldade,


Onde em nossos encontros, um encaixe perfeito,
Sincronizavámos nossos rítmos, num compasso tentador,
Cumplicidade nesta troca, numa floresta de orquídeas nosso leito,
Onde viajavámos por dias, até o sol se por,


Neste balanço de cheiros..., toques..., sons e muito ardor,
Pondo em prova nossa vivacidade de sempre querer mais...,
Até que na madrugada silenciosa de farto amor,
O sono chega de mansinho..., entrelaçados não desgrudamos jamais,


Noite adentro, ouço uma patativa de cantar mavioso,
Deixando em êxtase nossa paixão adormecida,
No semblante teu, vejo uma Gioconda, insinuante com jeito malicioso,
Resgata-me de todos meus sonhos, sonhados numa terra desconhecida,


Onde vejo, criaturas viventes de várias cores,
Todas num deleite demorado, em plena levitação,
Perdido profundamente estou na isosmia de seus sete sabores,
Por fim..., calmo, meu corpo quimérico, dum cansaço aturado de pura
excitação.....!

Rimarquesz
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui