Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
73 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55217 )
Cartas ( 21066)
Contos (12156)
Cordel (9589)
Crônicas (21289)
Discursos (3112)
Ensaios - (9914)
Erótico (13140)
Frases (40120)
Humor (17564)
Infantil (3566)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5416)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135847)
Redação (2879)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4226)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Roteiro_de_Filme_ou_Novela-->Resumo da Minha Apresentação Sobre Halloween -- 19/09/2015 - 16:28 (Luciana do Rocio Mallon) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Apresentação Halloween e Lendas
Resumo da minha apresentação sobre Halloween e Lendas
1. Introdução: O Halloween na Idade da Pedra.
2. Desenvolvimento: o Halloween no Egito, O Dia da Bruxa dos Celtas, o Halloween do México e o Dia do Saci.
3. Lendas Urbanas e sua Ligação com o Halloween
4. Finalização: Apresentação de Dança Sobre o Halloween.
Introdução:
Conforme o professor Antônio Sandmman, de Língua Portuguesa, Linguística e História da Escrita, desde o princípio a morte e o sobrenatural exercem fascínio no ser humano. Foi constatado através de pesquisas arqueológicas que, já na Idade da Pedra, o homem cultuava deuses e possuía períodos, com rituais, para entrar em contato com o sobrenatural.
Desenvolvimento:
No Antigo Egito, já existia uma espécie de Halloween, comemorado dois dias antes da data de reverência aos mortos. Neste dia havia rituais específicos, onde eles acreditavam que os espíritos dos falecidos poderiam entrar em contato com quem ficou na Terra.
Os celtas antigos, também, realizavam um ritual de Halloween parecido com o dos egípcios. Para eles a noite de 31 de outubro, indicava o início do Samhain, uma importante celebração que marcava três fatos: o fim da colheita, o Ano-Novo celta e também o início do inverno, "a estação da escuridão e do frio", um período associado aos mortos. Assim, como os egípcios, neste dia, os celtas também acreditavam que era possível manter contato, com os mortos porque um portal era aberto para outra dimensão. Para se protegerem das almas, os celtas vestiam fantasias de animais em rituais e deixavam ofertas de doces para acalmar os espíritos. Por isto é que no século vinte virou costume dar doces para as crianças que batem na porta. No século 9, este ritual antigo foi influenciado pela expansão do cristianismo na Grã-Bretanha. Na tentativa de acabar com os festejos pagãos, o papa Gregório III consagrou o dia 1º de novembro para a celebração de Todos os Santos. Surgiu daí a própria palavra Halloween, originada de all hallows eve, que em português quer dizer "véspera do dia de Todos os Santos".
Segundo o professor Antônio Sandmman, do curso de Letras da UFPR, a palavra Halloween é uma gíria formada de suas outras palavras:
Halloweed, que significava santo no Inglês da Irlanda Medieval com a junção da palavra “een” que era a gíria de noite, também, no Inglês da Irlanda Medieval.
Lenda da Abóbora com Velas
A figura mais famosa do Halloween é a da abóbora com vela. Mas, poucas pessoas sabem a origem desta figura, que tem raiz num causo celta.
Era uma vez um homem mau chamado Jack que foi condenado a vagar pela eternidade. Então, ele pediu uma brasa ao diabo e a colocou dentro de um nabo para iluminar seu caminho. Com a imigração irlandesa para os Estados Unidos no século 19, o vegetal foi trocado. Como o nabo era difícil de ser encontrado na América, ele foi substituído pela abóbora acesa com uma vela, que ganhou o nome de Jack da Lanterna. Reza a lenda que a pessoa que roubar a lanterna deste homem viverá para sempre na Terra.

Dia dos Mortos no México

No México, o Dia de Finados é quase que um Carnaval, pois há desfiles de carros alegóricos com pessoas fantasiadas e venda de doces em forma de esqueletos. A comemoração vai do dia 31 de outubro até 2 de novembro. Esta festa tem influência da cultura dos antigos povos indígenas como Maias e Astecas. Para eles, a morte não é vista como algo negativo, pois eles acreditavam na eternidade da alma.
O evento que se tornou o Dia dos Mortos era comemorado no nono mês do calendário solar asteca, por volta do início de agosto, e era celebrado por um mês completo. As festividades eram presididas pela deusa Mictecacíhuatl, conhecida como a "Dama da Morte" (do espanhol: Dama de la Muerte) - atualmente relacionada à La Catrina, personagem de José Guadalupe Posada - e esposa de Mictlantecuhtli, senhor do reino dos mortos. O evento era dedicado às crianças e aos parentes falecidos.

O Dia do Saci no Brasil

O Saci-Pererê é uma lenda nacional que existe desde a época do Brasil-Colônia. O saci é um menino afrodescendente, que usa toca vermelha, pula de um pé só e faz muitas travessuras.

O Dia do Saci existe no projeto de lei federal nº 2.762, de 2003 (anexado ao projeto de lei federal nº 2.479, de 2003), elaborado pelo deputado federal Chico Alencar, (PSOL -RJ) e pela vereadora de São José dos Campos Ângela Guadagnin (PT - SP), com o objetivo de resgatar figuras do folclore brasileiro, em contraposição ao "Dia das Bruxas", ou, Halloween, de tradição cultural celta. Propõe-se seja celebrado em 31 de Outubro.

Dança do Ritual do Fogo
No encerramento desta palestra, bailarei a Dança do Ritual do Fogo que é um balé de Halloween.
As danças que remetem ao fogo estão ligadas ao Halloween. Pois tanto os antigos egípcios quanto os celtas antigos faziam balés que remetiam ao fogo para espantar os maus espíritos na noite anterior ao Dia dos Mortos.
Na Opera Amor Bruxo, do compositor Manuel de Falla existe uma música chamada Dança do Ritual do Fogo, que consiste na bruxa dançando numa espécie de Ritual de Halloween.
Luciana do Rocio Mallon







Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui