Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
35 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56450 )
Cartas ( 21157)
Contos (12576)
Cordel (9976)
Crônicas (22085)
Discursos (3130)
Ensaios - (8876)
Erótico (13329)
Frases (42883)
Humor (18231)
Infantil (3704)
Infanto Juvenil (2520)
Letras de Música (5461)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137743)
Redação (2907)
Roteiro de Filme ou Novela (1051)
Teses / Monologos (2385)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4618)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->PRAÇA DA BATALHA -- 16/05/2011 - 19:29 (João Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


PRAÇA DA BATALHA

12 de maio de 2011

Jan Muá



Nesta praça da Batalha não há exércitos

Nem soldados alinhados

Nem metralhadoras apontadas

Nem memória ao soldado desconhecido

A Batalha aqui é outra

É simbólica

É uma praça cívica

Que pode simbolizar a batalha da cidadania

A que dá foro e consciência

Direitos e dignidade ao cidadão

A batalha de reafirmação

De que Portugal não quer ser isto

Nem aquilo

Que não quer ser mero país de periferia

Escondido nas franjas capitalistas da globalização

Mas quer ter uma identidade

Que lhe confira luz própria

De noite e de dia

É por isso que a Praça da Batalha

No momento

Representa todas as praças

Onde cada português

Se procura a si próprio

Dentro de um espaço de esperança

Num leque de reabilitação

Do talento e da ação matricial portuguesa.





Jan Muá

Porto, Praça da Batalha

16 de maio de 2011
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 73Exibido 181 vezesFale com o autor