Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
113 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56958 )
Cartas ( 21165)
Contos (12587)
Cordel (10049)
Crônicas (22175)
Discursos (3133)
Ensaios - (8978)
Erótico (13390)
Frases (43483)
Humor (18424)
Infantil (3759)
Infanto Juvenil (2652)
Letras de Música (5466)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (138144)
Redação (2919)
Roteiro de Filme ou Novela (1054)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1924)
Textos Religiosos/Sermões (4822)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->EM TEMPOS DE NAMORO -- 12/06/2011 - 00:41 (João Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos




EM TEMPOS DE NAMORO

Jan Muá

12 de junho de 2011



No dia dos namorados

Os protetores populares são

Santo António de Lisboa

E São Gonçalo de Amarante

Cantados e invocados nas festas juninas

Nas igrejas e nos arraiais

São santos com a fama de estarem dispostos

A abençoar os moços e as moças que se dispõem a namorar

Aos pés do altar ou nas festas populares

Eles ensinam que o amor é uma dádiva

E que o namoro é o tempo especial

Para os namorados se conhecerem

Se descobrirem

Se cativarem e se deixarem cativar

Eles ensinam à sombra do ritual secular

Da Humanidade

Que o namoro deve ser a verdade de duas almas abertas

Que se estimam e se querem

E que só na verdade e sinceridade

A vida deles será penetrada pela alegria

Do amor

São Gonçalo e Santo Antônio ensinam

Que namorar à sombra da igreja

É assumir com verdade que os dois gostam um do outro

Por amor verdadeiro

Nascido do coração

Que namorar é curtir um amor

Que se coloca na disposição de caminhar lado a lado

Um amor que se distribui e se instala no outro

Um amor nascido da atração

E do desejo de muito amar

Das afinidades e da vontade de compartilhar

E conviver

Ensinam que namorar é trilhar a estrada

Que leva a conviver com a realidade da vida

Que namorar é percorrer caminhos para conhecer o outro

É treinar a capacidade de saber expor-se

De manifestar-se e de se apresentar perante o parceiro

É aprender a amar a diferença

E a se sacrificar por ela

É treinar-se a curtir a pessoa amada

Desenvolvendo as relações de aproximação

Namorar é alinhar a sensibilidade

Para que com naturalidade os dois possam trilhar os caminhos juntos

Aperfeiçoando o conhecimento e a aproximação mútua

Namorar é descobrir o mistério do amor

No que ele tem de sublime

De divino e de verdadeiro

No indispensável jogo existencial

Dos humanos no mundo!



Jan Muá

12 de junho de 2011

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 73Exibido 252 vezesFale com o autor