Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
138 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56257 )
Cartas ( 21115)
Contos (12465)
Cordel (9814)
Crônicas (21743)
Discursos (3121)
Ensaios - (9965)
Erótico (13194)
Frases (41312)
Humor (17661)
Infantil (3601)
Infanto Juvenil (2327)
Letras de Música (5443)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (136794)
Redação (2885)
Roteiro de Filme ou Novela (1048)
Teses / Monologos (2379)
Textos Jurídicos (1916)
Textos Religiosos/Sermões (4466)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Pipoca na manteiga -- 11/07/2006 - 12:49 (maria da graça almeida) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Pipoca na manteiga
maria da graça almeida

Quando passo pelo local onde se erguia a loja, fico cheia de passado. Daí, falo comigo: largue o passado no passado, dele, hoje, apenas os brechós se alimentam. Sorrio diante da bobagem do pensamento.
Eis que a lembrança de um perfume distante surpreende meu olfato. Olfato também tem memória. Cheiro de pipoca na manteiga...era o aroma da Sears, sua marca registrada.
Tudo o que se queria, por lá se encontrava, ou bem à vista ou meio às escondidas. Minhas visitas eram como as de um garimpeiro, busca que busca, mexe e remexe... assim eu sempre saía com uma sacolinha, mesmo que apenas comprasse um batom ou um par de meias coloridas.
O setor mais gostado, na verdade a minha paixão, era o dos casacos. Na época, São Paulo inda se fazia muito fria e as cores, os modelos, os tecidos eram lindos, aqueciam o corpo, a alma. Poucos deles eu trouxe para casa, outros tantos trago no que me resta de memória.
Talvez as raras oportunidades de adquirir um bem de maior valor, contribuíssem para o aumento do magnetismo local. A dificuldade, ou a impossibilidade, muitas vezes, infla a tendência, redobra o desejo.
Hoje, nem o perfume requintado do Iguatemi, nem suas vitrinas milionárias preenchem a ausência das araras da antiga loja, tampouco me trazem de volta o brilho dos olhos e a alegria de comprinhas à toa, as que me permitiam levar do lugar um pouco do encantamento.
Quanto ao aroma, no Iguatemi: Armani, Givanchi, Dior e tantos outros bailam pelo ar.
Do cheirinho de pipoca, hum...somente uma amanteigada lembrança.


Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui