Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
98 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55932 )
Cartas ( 21109)
Contos (12417)
Cordel (9754)
Crônicas (21609)
Discursos (3119)
Ensaios - (9947)
Erótico (13172)
Frases (41017)
Humor (17617)
Infantil (3597)
Infanto Juvenil (2322)
Letras de Música (5434)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136491)
Redação (2884)
Roteiro de Filme ou Novela (1047)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1914)
Textos Religiosos/Sermões (4430)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Coisas do Juvenal -- 15/07/2006 - 10:56 (maria da graça almeida) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Coisas do Juvenal
maria da graça almeida

Falávamos um dialeto estranho.
Todos se intrigavam. Meu marido perguntava-me:
-Por que fala assim com ele?
-Uso a linguagem dele, sempre nos entendemos.
- Coisa estranha! Nunca vai aprender o certo.
- Para ele, assim é o certo.
- Você poderia ensiná-lo...
- Claro que não!
- Por quê?
- Nunca pediu...
-------------------------------------------------
-Juvenal, as lâmpadas do jardim queimaram?
- Não senhora, elas "tão discoicheiada".(ufa, que difícil!)
-O remédio para as formigas, ao menos, voroçô?
- Não só voroçô, matô a trempa inteira.
- Preciso comprar gás, Juvenal?
-Precisa não, o "bunjão" tem folgo(fôlego).
- A cortadora de grama inda tá "triscano"?
- Eu "fisso uma treta nela, agora ela tá
tininu".
-------------------------------------------------Um dia ele me ligou bem cedo, já imaginei que a coisa deveria "estar preta", como ele mesmo dizia.
Levantar cedo não lhe era comum .
-Dona Graça, o "orobu baxou aqui".
- O que aconteceu?
-Bruce bateu "as bota"
Eu repeti perplexa e pausadamente:
-Ba - teu as bo - tas?
- Bateu, sim!
Fiquei muda.
Bruce era o meu boxer de estimação, meu cachorrão amigo.
-------------------------------------------------
Sensibibilidade? Oras! E o que é isto?
No dialeto de Juvenal não existe tal palavra.
Quanto aos sentimentos, propriamente, ah... sei lá, mas ainda assim continuamos a nos entender...razoavelmente.
-------------------------------------------------
-Juvenal, é lindo o André!
-Não é André, Dona Graça, nóis mudamo de idéia.
- Qual é, então, o nome ?
- É...é...ô Maria, que nome ele tem?
- Ué, mas foi você que iscuieu, hómi...
- Deu branco, Maria.
- Hum...pera aí... é ...é...É Dogras, Juvenal!
- Douglas? -pergunto.
- Não, Dogras, é assim rapidinho: Dogras-responde o homem.
- Posso ver a certidão do menino?
-Oia aqui! Maria entrega-me o papel com autoridade.
Abro-o e lá está: Dogras Pereira Nascimento da Silva.

Sim, o menino foi registrado e batizado pela oral e escrita ignorância familiar.


Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui