Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
70 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54946 )
Cartas ( 21059)
Contos (12121)
Cordel (9544)
Crônicas (21131)
Discursos (3109)
Ensaios - (9910)
Erótico (13133)
Frases (39899)
Humor (17551)
Infantil (3560)
Infanto Juvenil (2308)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135650)
Redação (2874)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4195)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Poema do Corpo 5 -- 10/10/2013 - 21:19 (Poeta Maldito) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Me acalma
Me acalma o peito
E a respiração quase pára.
Me acalmam,
Essas letras,
Os meus motivos sonoros,
Elas quase separam
O que sou
Do que vivo.
Elas quase me tiram a culpa.
Me dão fôlego numa fantasia
Indolente
Me faz
Anestesiado da vida
Por momentos breves
Eu sou outro
Contaminado de uma loucura
Retumbada dos confins de uma noite.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 0Exibido 46 vezesFale com o autor