Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
89 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54946 )
Cartas ( 21059)
Contos (12121)
Cordel (9544)
Crônicas (21131)
Discursos (3109)
Ensaios - (9910)
Erótico (13133)
Frases (39899)
Humor (17551)
Infantil (3560)
Infanto Juvenil (2308)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135650)
Redação (2874)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4195)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Poema do Corpo 6 -- 10/10/2013 - 21:32 (Poeta Maldito) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Eu me destaco pelos meus órgãos internos.
Externamente, da minha cabeça, aos meus pés,
Não se prenda a nada.
Eu sou os meus órgãos internos.

Venha e chegue mais perto.
Tampe seus ouvidos com meu peito
E cegue seus olhos
Através da minha pele
Eu respiro e ecoa feito um tufão...
Meu estômago dissolve os restos de um ser
E geme de prazer...
O estranho,
É que se escuta um coração
No silêncio
Sinta
Ele bate sem interrupção
Como Dó de um violão...
Estão em mim
Como se deles não precisasse
Olhe adentro
Além do ser externo
Da pele que não convence
Olhe aqui
Nos meus olhos
Há uma vida
Que só vive e perdura
Funciona incessantemente
Só vive
Só vive
Sem saber pra quê.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 0Exibido 57 vezesFale com o autor