Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
98 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55917 )
Cartas ( 21109)
Contos (12416)
Cordel (9752)
Crônicas (21604)
Discursos (3119)
Ensaios - (9947)
Erótico (13171)
Frases (41005)
Humor (17612)
Infantil (3597)
Infanto Juvenil (2322)
Letras de Música (5434)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136478)
Redação (2883)
Roteiro de Filme ou Novela (1047)
Teses / Monologos (2382)
Textos Jurídicos (1914)
Textos Religiosos/Sermões (4424)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->A GARÇA LADRA -- 25/02/2007 - 07:09 (Maria Hilda de J. Alão) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos




A GARÇA LADRA


Maria Hilda de J. Alão.




Quando o ônibus parou no ponto, em frente ao mercado de peixe na ponta da praia, sentada na poltrona do lado esquerdo, eu olhava a paisagem que circunda o comércio de pescado. Pessoas saindo apressadas da balsa que faz a travessia entre Santos e Guarujá, as árvores, a fila de carros e a garça branca que ora pousa no teto do mercado, ora pousa na estaca de madeira fincada na calçada em frente a uma das popularmente chamadas bancas de peixes.


Na minha cabeça a pergunta dançava a valsa da curiosidade: Por quê? Que imã prenderia uma ave marinha num telhado ou numa estaca de madeira em meio àquela confusão de gente falando, carros buzinando e a fumaça dos ônibus? Elas são livres, têm o silêncio e a pureza dos oceanos, comida a vontade, a mata das montanhas que circundam o mar para descansar e até as embarcações que ficam ali ancoradas. Mas aquela não! Ela fica paradinha, parecendo um bibelô de louça branca enfeitando um imaginário toucador. E como se ela pudesse ler meus pensamentos, num descuido do dono da banca, voou e “abocanhou” um peixe, e batendo as asas pousou elegantemente no telhado engolindo o acepipe.


Respondeu a minha pergunta. Para que voar, mergulhar, se molhar toda só para pegar um peixe se eles estão ali disponíveis? É só aguardar a ocasião, e a ocasião faz o ladrão.

Santos, 25/02/07.

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 27Exibido 827 vezesFale com o autor