Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
109 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56957 )
Cartas ( 21165)
Contos (12587)
Cordel (10049)
Crônicas (22175)
Discursos (3133)
Ensaios - (8977)
Erótico (13390)
Frases (43482)
Humor (18424)
Infantil (3759)
Infanto Juvenil (2652)
Letras de Música (5466)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (138144)
Redação (2919)
Roteiro de Filme ou Novela (1054)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1924)
Textos Religiosos/Sermões (4822)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Erótico-->O DIÁRIO DE ANA CARLA - X -- 10/08/2005 - 10:34 (Edmar Guedes Corrêa****) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O DIÁRIO DE ANA CARLA - X


Segue abaixo a continuação do DIÁRIO DE ANA CARLA. Para ler a parte anterior clique AQUI
PARA LER O INÍCIO DO DIÁRIO CLIQUE AQUI


Terça-feira, 10 de janeiro.

Cedo.
Ontem quando eu peguei meu diário e ia começar a escrever, minha mãe entrou no quarto. Aí ela perguntou o que eu estava fazendo. Levei um susto tão grande que fiquei vermelha e muda. Não sabia o que fazer. Achei que ela ia chegar perto de mim e me tomar o caderno. Quase morri do coração.
Na hora só tive idéia para responder que estava fazendo lição. Ainda bem que ela acreditou. Porque se ela resolve ver o que eu estava fazendo, eu estaria ferrada. Ela ia descobrir tudo. Na certa eu ia levar uma surra dela, uma do meu pai e ainda ia ter que contar tudo. Ainda por cima ia ficar proibida de sair de casa sozinha.
Depois que minha mãe saiu, eu fiquei tremendo. Nem tive coragem de escrever nada. Agora eu sei porque ele disse para eu não escrever nada sobre a gente. Porque ele sabia que num descuido alguém poderia descobrir.
Mas eu não posso parar agora. Não vou te abandonar, meu querido diário. Você me ajuda tanto. Eu só tenho você para contar o que se passa comigo. Eu não posso ficar sem você. Prometo que vou tomar mais cuidado daqui para frente. Só vou te contar as cosias quando a porta do meu quarto estiver trancada. Não quero ficar correndo riscos a toa. Não posso por tudo a perder. Senão ele nunca vai me perdoar.
Por falar nele. Ele me ligou ontem muito preocupado com o que aconteceu domingo. Ele disse que foi muita irresponsabilidade nossa transar sem camisinha. Ele quis saber inclusive quando foi que eu fiquei menstruada. Disse para ele que foi bem no finalzinho do mês. Ele disse que estou no período fértil.
Agora até eu estou com um pouco de medo. Estava com tanta vontade de fazer amor com ele que na hora nem lembrei disso. Merda! Ele também deveria ter me alertado antes, quando a gente se encontrou, que eu teria pedido para ele usar camisinha.
Ah, também agora não adianta! Deus vai me ajudar a não ficar grávida. Prometo que se não ficar grávida, eu rezo toda noite antes de dormir. Ai, meu Deus! Não permita que eu fiquei grávida! Senão, aí é que estou ferrada de vez.
Ontem não nos encontramos, mas fiquei de ligar para ele hoje.

Noite.

Hoje também não nos encontramos. Estou morrendo de saudades dele. Liguei para ele a tarde e disse que meu pai estava de folga e ia ser complicado para sair. Se eu saísse, ia ter que demorar bem pouco. Então resolvemos deixar para amanhã. Aproveitei para perguntar sobre a minha calcinha que tinha ficado com ele.
Ele disse que nunca mais vai me devolver. “Aquela lá vai ficar de recordação, de lembrança. Vou guardar como se fosse um troféu”, foi o que ele disse ao telefone. Eu não quis obrigar ele a me devolver a calcinha, de forma que deixei para lá. Assim ele ia se lembrar de mim toda vez que olhasse para ela.
Passei o dia todo preocupada com esse negócio de gravidez. Estou morrendo de medo de ficar grávida. E se ficar, o que vou fazer da minha vida? Já estou até vendo: meu pai me interrogando para saber quem é o pai da criança. O que vou falar?
Se eu disser quem é ele pode até ser preso. Ele me disse isso. Não entrou em detalhes, mas disse que fazer sexo com uma menina da minha idade é considerado crime por causa do Estatuto da Criança e do Adolescente.
Não. Eu não posso ficar grávida de jeito nenhum! Deus me livre. Não quero nem pensar mais nisso!
Não quero te escrever mais nada hoje, meu querido diário. Vou dormir para ver se amanhã amanheço melhor.


Quarta-feira, 11 de Janeiro.

Assim que acordei, fui ligar para ele. Ainda continuava preocupada com a história da gravidez. Falei para ele que não estava nem conseguindo dormir com medo de estar grávida.
Ele disse para eu não ficar tão preocupada desse jeito. Disse também que não queria me assustar. Depois explicou que não se fica grávida tão fácil assim.
Não sei se ele estava falando a verdade ou se só queria me tranqüilizar. Se eu tivesse algum livro que falasse sobre isso aqui, eu poderia dar uma olhada. Mas só tem uns poucos livros velhos na estante. Se estivesse tendo aula, eu poderia ir até a biblioteca dar uma olhada. Mas as aulas só começam o mês que vem.
Eu poderia pedir para ele me arrumar algum livro? Ele deve ter na casa dele. Quando eu fui lá, vi que tinha um montão de livros na estante. Mas será que ele vai querer me emprestar? Poderia ter perguntado isso ele hoje. Vou ligar para ele amanhã e perguntar. Se ele tiver, vou pedir para me emprestar.
Hoje ficamos só conversando no nosso anexo secreto. Depois de domingo, a gente não anda com cabeça para pensar em besteira. Apesar de que eu senti que ele estava excitado, quando estava me beijando.
Conversamos sobre muita coisa, mas o assunto principal foi sobre gravidez. Ele me explicou com detalhes como é que uma mulher fica grávida. Eu já sabia algumas coisas, mas não tudo. Agora já sei.
Ele explicou sobre ovulação, período fértil e porque ocorre a menstruação.
Nossa! Como ele é inteligente! Me ensinou tudinho. Eu ia falar com ele se tinha algum livro sobre o assunto, mas até deixei pra lá. Só que esses esclarecimentos não diminuíram minha preocupação. Ainda continuo com muito medo de estar grávida.
Ele disse para eu prestar atenção ao meu corpo. E que qualquer alteração, qualquer anormalidade é para falar com ele. Pois ele disse que quando a mulher fica grávida, o corpo começa a dar sinais.
Ficamos juntos até anoitecer. Antes de voltarmos para casa, ele me levou para fazer um lance. Estava tão amável comigo e me tratava com tanto dengo. Ah, como eu me sento feliz ao lado daquele homem! Ele é tudo que eu poderia sonhar. Ele disse que sonha com o dia em que estaremos os dois na nossa casa, sentados a mesa juntos.
Eu fiquei tão emocionada ao ouvir isso, que meus olhos se encheram de lágrimas.
A cada dia eu tenho mais certeza de que ele é o homem da minha vida. Sei que nenhum garoto da minha idade seria capaz de me completar e me fazer tão feliz quanto ele me faz. Sei que nosso relacionamento pode parecer esquisito para muita gente. Sei que muitas pessoas, se soubessem, iam dizer que ele só quer se aproveitar de mim. Mas eu sei que isso não é verdade. Nós nos amamos muito.
Ah, meu querido diário! Ele é o maior presente que eu poderia ganhar. Nunca fui tão feliz na vida quanto estou sendo agora.

Sexta-feira, 13 de janeiro.

Cedo.
Ontem eu estava com tanta preguiça que não quis saber de você, meu diário.
Mas também não fiz nada de interessante. Minha mãe foi à Santos depois do almoço e eu fui com ela. Ela foi comprar alguns utensílios para a casa. Ela comprou um jogo de panelas, alguns talheres, conchas, um ralador e mais algumas coisas. E quando voltamos já era mais de seis horas.
Foi bom para mim porque eu preciso começar a aprender a comprar essas coisas. Afinal eu preciso saber cuidar duma casa. Eu não posso desapontar ele quando a gente se casar. Quero mostrar para ele que sei dar conta do recado. Vou inclusive começar a aprender a cozinhar. Vou passar a ajudar mais minha mãe na cozinha.
Eu queria ter me encontrado com ele ontem, mas não dava mais tempo. Então liguei para ele e disse o que tinha acontecido.
Ele perguntou se estava tudo bem comigo, eu disse que sim. Percebi que ele ainda está muito preocupado com a história da gravidez. Eu também estou, mas como parece que está tudo bem comigo, já não me preocupo tanto quanto antes. Tenho certeza que não estou grávida.

Noite.
Ficamos pouco tempo juntos hoje. Só consegui sair porque disse a minha mãe que ia sair com minhas amigas. Falei para ela que íamos dar uma volta no centro do Guarujá.
Ela disse para eu não demorar muito porque meu pai ia voltar cedo para casa e não ia gostar se chegasse e não me encontrasse. Eu prometi que não demoraria muito e que antes das sete estaria em casa.
Nós nos encontramos no nosso Anexo Secreto e ficamos namorando no calçadão da praia. Tanto ele quanto eu não estávamos com vontade de ir para nenhum outro lugar. Preferimos ficar conversando e namorando comportadamente como os outros casais de namorado que estavam por ali.
Levamos o maior susto hoje.
Quando a gente estava indo em direção ao ponto de ônibus, demos de cara com o meu tio. Por sorte eu vi ele primeiro e me soltei da mão do meu amor. Se o meu tio tivesse olhado para o lado teria nos vistos de mãos dadas.
Na hora eu fiquei gelada, meu coração disparou e fiquei sem ação. Cheguei a pensar que meu tio nos tinha visto de mãos dadas. Ele percebeu na hora que eu tinha visto alguma coisa. Tanto que perguntou: “O que foi meu amor?”. Aí eu respondi: “Meu tio que está ali na frente.” Por sorte, nesta hora ele soube o que fazer. “Vamos continuar e fazer de contas que somos estranhos e estamos só indo em direção ao ponto”, disse ele. Então eu perguntei: “Mas e se ele nos viu?”. Aí ele respondeu: “Por isso mesmo. Se ele nós viu é melhor que esteja por perto para saber o que fazer.” E foi o que fizemos.
Cumprimentei meu tio. Ele ficou surpreso por me encontrar ali. Não disse que tinha me visto, nem ficou olhando para meu amor que estava pertinho da gente. Isso me deixou mais aliviada. Ele perguntou o que eu estava fazendo por ali. Então eu respondi que estava com minhas amigas, mas elas já tinham ido para casa. Falei que também ia pegar o ônibus.
Ainda bem que não íamos pegar o mesmo. Se não nem ia poder falar com meu amor. Mesmo que o meu ônibus viesse primeiro, eu não ia pegá-lo. Ia esperar o meu tio pegar o dele.
Nossa! Fiquei aliviada quando o ônibus dele apareceu. Fiquei com medo do meu ônibus vir primeiro e meu tio perguntar se eu não ia pegá-lo. Assim foi melhor. Ele foi embora e agora eu estava livre para ficar com meu amor. Corri para os braços dele e ficamos falando do susto que levamos.
Meu ônibus veio logo em seguida. Eu pensei que ele não ia me levar até perto de casa, mas ele pegou o ônibus comigo.
A cada dia que passa, ele parece estar mais carinhoso e gentil comigo. Agora, toda vez que vou tomar o ônibus para casa, ele vai comigo e me leva até perto de casa. Depois é que ele vai pegar outro de volta para casa.
Foi até bom ele ter me trazido até perto de casa, porque a gente combinou o que íamos fazer amanhã. Ainda mais que é sábado e vou poder chegar um pouco mais tarde em casa.
Ficamos de ir ao Shopping em Santos. Ele disse que queria ir ao cinema.

Sábado, 14 de janeiro.

Ele ficou me acariciando no cinema. Foi tão bom quanto da primeira vez. Ou melhor, foi mais gostoso ainda. Dessa vez ele não parou quando eu estava quase gozando. Também, se ele parasse, eu ia brigar com ele e fazer ele continuar.
Acho que um casal que estava na mesma fileira que a gente percebeu alguma coisa. Quando eu desci para ir ao banheiro me limpar, eles ficaram me olhando com uma cara e cochichando alguma coisa. Depois, quando o filme acabou, eles tornaram a me olhar novamente. Tenho quase certeza de que eles viram o que estávamos fazendo.
Ah, também azar deles! Ninguém mandou eles ficarem olhando para o lado. Se estavam ali para assistir ao filme, que prestassem atenção nele ou neles mesmos. Não tinha nada que ficar olhando para o que os outros estavam fazendo. Vai ver que o que estávamos fazendo era mais interessante que o filme.
Mas também, qualquer um que olhasse para a gente percebia algo. Pois não tomamos muito cuidado dessa vez. Talvez tenha sido porque o cinema estava meio vazio. Acho que não tinha vinte pessoas assistindo ao filme.
Adorei quando ele levantou minha saia e enfiou a mão por baixo da calcinha. Eu já estava excitada e fiquei mais ainda. Nem prestei atenção ao filme. Se alguém me perguntar como foi, eu não vou saber explicar.
Ah, meu querido diário! Como ele sabe me acariciar! Parece que ele consegue adivinhar minhas sensações. Ele tanto sabe onde colocar corretamente o dedo quanto movimentar ele no ritmo certo. Ele sabe direitinho quando ir devagar e quando ir mais rápido.
Para te dizer a verdade, ele sabe me acariciar melhor do que eu mesma. Parece que a ponta do dedo dele sabe onde apertar e onde é mais sensível. Ele consegue encontrar aquele lugarzinho com tanta facilidade! Eu custo achar. Tenho que ficar me tocando por algum tempo. Mas ele não, vai direto lá. Acho que é por isso que sinto mais prazer, consigo gozar com mais facilidade, quando ele está me acariciando do que quando sou eu.
Acho que aquele casal percebeu alguma coisa quando eu gozei. Eu estava meio deitada na cadeira com as pernas abertas. E quando gozei, soltei um gemido meio alto. Juro que foi sem querer. Eu estava tão concentrada, sentindo tanto prazer que esqueci onde estava. Quando eu vi já tinha acontecido.
Depois perguntei a ele se não queria gozar também. Ele disse que estava morrendo de vontade, mas que não queria fazer ali. Disse que poderia agüentar até amanhã. E disse também: “Só de saber que você gozou, que te fiz sentir muito prazer já me sinto satisfeito.”
Mas eu fiquei com pena dele. Vi como o pau dele estava duro. Não é justo! Ele também precisa gozar. Por que só eu? E ele, como é que fica? Não, não! Amanhã, se a gente for sair, vou dar um jeito de fazer ele gozar.
Já pensou se ele me deixa em casa e vai atrás de um prostituta? Porque dizem que os homens, quando estão com vontade, dão um jeito de arrumar alguém. Ainda mais que ele está com medo de eu estar grávida. Acho que é por isso que ele não quis fazer nada comigo. Se não fosse por isso, tenho certeza que teria me levando para algum lugar e feito amor comigo.
Mas amanhã, nem que a gente tenha que se enfiar em algum mato, eu vou fazer ele gozar. Não quero deixar ele morrendo de vontade com esse monte de turista na cidade. Mas não vou mesmo! Do jeito que essas meninas são. Vem para cá, ficam bem a vontade. Aí ficam todas alvoroçadas atrás de homem para sair com elas. Elas pensam que eu não percebo isso. Mas nem que seja só com a mão, eu vou fazer ele gozar amanhã.
Quando a gente se encontrar amanhã, vou lembrá-lo da camisinha. A gente não pode mais transar sem ela. Não quero ficar correndo o risco de ficar grávida. É horrível ficar nessa dúvida, nessa incerteza. É melhor usar camisinha do que ficar assim. Não quero mesmo me sentir como estou me sentindo esses dias. Isso pode até acabar com nosso namoro.
Ainda bem que não senti nada de diferente comigo. Ainda não posso afirmar com certeza, mas tenho quase certeza de que não estou grávida. Acho que foi só mais medo mesmo! Mesmo assim, ainda vou dormir mais essa noite com essa preocupação.
Odeio ficar menstruada, mas dessa vez nunca desejei tanto que minha menstruação viesse logo. E o pior é que ela só vai vir no fim do mês. Até lá vou ter que ficar com essa preocupação na cabeça.
Bem, não quero te contar mais nada por hoje, meu diário. Vou dormir que estou morrendo de sono.


PARA COMPREENDER MELHOR O DIÁRIO LEIA A HISTÓRIA DE ANA CARLA EM: A MENINA DO ÔNIBUS
PARA LER O INÍCIO DO DIÁRIO CLIQUE AQUI





LEIA TAMBÉM
O DIÁRIO DE ANA CARLA - IX
PENSAMENTOS ERÓTICOS (7)
O DIÁRIO DE ANA CARLA - VIII
FANTASIAS IMORAIS
COMO PODERIA ESQUECER?
O DIÁRIO DE ANA CARLA - VII
ELA É UMA TENTAÇÃO
QUANDO A NOITE CHEGA
NAS NOITES FRIAS DE INVERNO
O DIÁRIO DE ANA CARLA - V
DESSE TEU PURO MEL VIRGINAL
O DIÁRIO DE ANA CARLA - IV
O DIÁRIO DE ANA CARLA - III
O DIÁRIO DE ANA CARLA - II
O DIÁRIO DE ANA CARLA - I
QUANDO A NOITE SE TORNAR FRIA
PENSAMENTOS IMPUROS
TEU CORPO
Ó VULVA INQUIETA!
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui