Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
72 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54594 )
Cartas ( 21042)
Contos (12045)
Cordel (9416)
Crônicas (20965)
Discursos (3104)
Ensaios - (9880)
Erótico (13101)
Frases (39628)
Humor (17532)
Infantil (3554)
Infanto Juvenil (2304)
Letras de Música (5408)
Peça de Teatro (1309)
Poesias (135300)
Redação (2862)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2371)
Textos Jurídicos (1912)
Textos Religiosos/Sermões (4137)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->A filoofia sociológica do Carnaval -- 27/02/2017 - 19:07 (João Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


A filosofia sociológica do Carnaval
Jan Muá,
27 de fevereiro de 2017

Acontece nestes dias de tempo brasileiro
o momento próprio
dos desfiles carnavalescos
em razão dos quais são armadas vitrines de magia
concebidas por talentosos carnavalescos
que levam à rua gloriosos espetáculos
sustentados por carros alegóricos e por enredos sofisticados

No palco da representação entram enlatados ao vivo
traços de comédia
que servem de folga para a sofredora humanidade
sob a forma de hilariante espetáculo

Nas praças de Olinda e do Recife,
frevo e maracatu
nas ruas de S. Paulo
em Salvador
e no sambódromo do Sapucaí no Rio
as baterias ditam o ritmo
as dançarinas emergem soberanas nos carros alegóricos
e no solo do sambódromo além dos destaques das porta-bandeiras
outras habilidosas cabrochas ou não
mostram a agilidade rítmica de deusas
que sabem emprestar ao corpo o cupido
o fogo a destreza e a graciosidade
que lhe dão especificidade
É na temperatura da batida do calor carnavalesco
que a alma de momo toma conta
tudo absorve e organiza
fazendo explodir o talento divertido e brincalhão do brasileiro
que se entrega se absorve esquece
e brinca com alegria na sedução que toma conta dele
aderindo a uma filosofia de vida que é imediata
E tem seu campo de verdade
mesmo que passageira e fortuita

Ao outro dia acordará
frente à colorida movimentação da vida
já novamente voltado para a sobrevivência
O carnaval passará a ser uma bela lembrança
de um descanso e de uma catarse
Agora será necessário outro tipo de magia
outro tipo de paixão, outro tipo de ilusão
para encarar as realidades nuas e cruas
do quotidiano adormecido

As horas divertidas
que se esvaem na volta ao ritmo do dia-a-dia
serão substituídas por outras horas
e estas regidas por outras baterias
e comandadas por outras alegorias
que deverão condizer com a consciência e a responsabilidade
de cada um no contexto da comédia humana
que deverá ser representada ao vivo pacientemente
e com a mais alta dignidade
para além de Sapucaí.
Jan Muá
27 de fevereiro de 2017
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 100Exibido 55 vezesFale com o autor