Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
61 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54577 )
Cartas ( 21040)
Contos (12037)
Cordel (9415)
Crônicas (20963)
Discursos (3105)
Ensaios - (9880)
Erótico (13100)
Frases (39618)
Humor (17532)
Infantil (3554)
Infanto Juvenil (2304)
Letras de Música (5407)
Peça de Teatro (1309)
Poesias (135290)
Redação (2862)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2371)
Textos Jurídicos (1912)
Textos Religiosos/Sermões (4137)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->A régua -- 12/04/2017 - 08:14 (Sydia Mabel Araújo Lopes) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
A régua


Milimetricamente desenhada, tenta ludibriar a matemática impondo-lhe uma aparência confiável. As mais antigas eram feitas de madeira e eram mais respeitadas, enquanto atualmente são de material plástico. A antiguidade tem essa predisposição de durar mais justamente por conte da austeridade com que é elaborada.
Madeira dá uma surra na matemática que promete se comportar diante da folia dos zeros à esquerda no bloco dos endividados. Mas o número real tenta garantir o pão da vida do número real negativado ao estômago. Acidificado pelos íons de uma ligação ora covalente ora não covalente. Mas a régua é teimosa e continua a servir de parâmetro aos erros de medição e julgamento.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 0Exibido 29 vezesFale com o autor