Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
49 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56399 )
Cartas ( 21119)
Contos (12482)
Cordel (9833)
Crônicas (21793)
Discursos (3122)
Ensaios - (9978)
Erótico (13197)
Frases (41437)
Humor (17685)
Infantil (3603)
Infanto Juvenil (2328)
Letras de Música (5445)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (136907)
Redação (2885)
Roteiro de Filme ou Novela (1048)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4473)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->O tio Zé -- 28/10/2013 - 14:35 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Era José como outro qualquer, mas o Velu herdara do pai, Velusiano, um rijo

curvelano, seleiro, muito brasileiro, e ainda mais casamenteiro.

E o Zé, apesar de bonitão, dotado pro violão, seguiu o pai só na habilidade de lidar

com o couro. Mas pra dar no couro, que desdouro.

Desde cedo quis ganhar mundo, viajou para São Paulo como fizera o irmão

Francisco. E com brilho nos olhos e voz emocionada, narrava para os sobrinhos o seu

encantamento com a cidade

que vira em 1924. A estação da Luz, o viaduto do Chá, a avenida São João.

Não falava porém das moças, nem de trabalho. Trabalho era para o Chico, que se

empregara na estrada de ferro e fora morrer ainda moço em Santos.

O que o Zé queria e sempre quis, foi a diversão e, iludido nela, foi levando a vida,

entre um maço de Douradinho e outro. Fez o mínimo para sobreviver, valendo-se de

sua habilidade no ofício que aprendera do pai. Mas o melhor de seu tempo era para as

serestas, com aquela sua voz profunda e aveludada.

Devia ter namorado muito mas a animação pro matrimônio não era com ele.

Envelhecer, tampouco.

Já beirando os setenta, insistia que tinha era trinta e oito. E satisfazendo seu desejo,

aquele incorrigível andejo foi morrer com trinta e nove, sem deixar descendência e só

seu violão é que comove.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui