Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
121 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56603 )
Cartas ( 21127)
Contos (12502)
Cordel (9854)
Crônicas (21849)
Discursos (3121)
Ensaios - (9995)
Erótico (13199)
Frases (41604)
Humor (17730)
Infantil (3604)
Infanto Juvenil (2328)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137016)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4496)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Quase meiga -- 31/10/2013 - 07:12 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O facão em punho e os cabelos desgrenhados davam-lhe um ar ameaçador

à primeira vista. Sobretudo, ali no meio do matagal, a podar furiosamente a ramagem mais seca.

Já a um bando de assustados garotos, vencido o susto inicial, aquela

figura negra, de dentes protuberantes e olhos mortiços, despertava mais

curiosidade. E, cautelosa, mas curiosamente, foram-se aproximando, ainda que guardando uma respeitosa distância, enquanto iam fazendo, tentativamente, perguntas ao desbravador solitário.

Ao como você chama, Aristeu, respondeu. De forma desarticulada,

fragmentada, tanto pelo estado suarento, quanto pela concentração principal que era cortar a lenha pra mãe, Dona Sinhana Salvador.

Passou por outras perguntas mais com exemplar esforço e mais exemplar

tolerância àquela criançada abusada. Mas no fundo, quiçá, não desgostasse a atenção que recebia, enquanto o facão brandia.

Inelutavelmente, veio-lhe uma pergunta difícil: quantos anos cê tem?

Tirou o chapéu, coçou a testa empapada de suor e respondeu: farta um pra quarenta. E continuou a labuta, sem se dar conta do quá-quá-quá silencioso e cumplicioso da garotada.

Com pouco, pressentindo a preocupação de Dona Sinhana, pegou o seu

feixinho de lenha fininha e retornou a casa, entrando pelos fundos dum

quintal abatumado e escurecido.

Os meninos, ainda impressionados com a simplicidade quase meiga daquela

figura, ainda fizeram um pouco de hora explorando o matagal, a caça de

frutinhas e confusões, até que uma chata e tagarela dona Ana, de um quintal contíguo e muito antigo os escorraçou.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui