Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
110 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56128 )
Cartas ( 21113)
Contos (12445)
Cordel (9801)
Crônicas (21706)
Discursos (3120)
Ensaios - (9953)
Erótico (13192)
Frases (41219)
Humor (17643)
Infantil (3599)
Infanto Juvenil (2327)
Letras de Música (5440)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136699)
Redação (2885)
Roteiro de Filme ou Novela (1048)
Teses / Monologos (2379)
Textos Jurídicos (1914)
Textos Religiosos/Sermões (4462)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->ACIMA DO COLARINHO -- 30/07/2017 - 23:44 (valentina fraga) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Pelas costas, se via não mais
Que dois dedos de pele,
Entre o final do corte de cabelo
E o início do colarinho
Suficiente para, sem intenção,
Seduzir.
O olhar fixo, não se desviava,
Atento, sondava milimetricamente,
Tentando alinhar o olhar ao olfato,
Pra perceber se o perfume ainda
Seria o mesmo,
depois de tanto tempo.
Não houve olhar que importasse dizer
ao menos de um sentimento.
Restava apenas especulação
Expectativa, intenção.
E assim o tempo que havia de passar, passou.
Virei de costas e segui meu destino.
Na retina ficou gravado,
A bainha do cabelo,
o pedaço de pele,
O início do colarinho.
No corpo, ficou o desejo de chegar perto, cheirar, lamber, beijar.
No coração ficou
A incompreensão do sentimento.


Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 14Exibido 137 vezesFale com o autor