Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
86 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55568 )
Cartas ( 21086)
Contos (12206)
Cordel (9647)
Crônicas (21420)
Discursos (3115)
Ensaios - (9923)
Erótico (13155)
Frases (40545)
Humor (17583)
Infantil (3581)
Infanto Juvenil (2319)
Letras de Música (5429)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136169)
Redação (2882)
Roteiro de Filme ou Novela (1041)
Teses / Monologos (2376)
Textos Jurídicos (1910)
Textos Religiosos/Sermões (4275)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Dezembro -- 05/12/2017 - 12:40 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Dezembro


Dezembro
Lembro
De um ditado
“Quem tem dois, tem um”
Balde sem água

De balde em balde, encheu o tonel
A água ficou confinada
No espaço necessário
Pra alimentar o rebento
Que sedento
Vivia a chorar

A mãe, cabisbaixa
Olhava o filho
Com dor de barriga
Por falta de comida

Vivia assim
Sem ter o que fazer
Com a fome e sede do filho
Que vivia na barriga

Mas a vida é boa parideira
Principalmente, da dor
Da flor do mandacaru
Que vive no sertão
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui