Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
27 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55932 )
Cartas ( 21109)
Contos (12417)
Cordel (9754)
Crônicas (21609)
Discursos (3119)
Ensaios - (9947)
Erótico (13172)
Frases (41017)
Humor (17614)
Infantil (3597)
Infanto Juvenil (2322)
Letras de Música (5434)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136491)
Redação (2884)
Roteiro de Filme ou Novela (1047)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1914)
Textos Religiosos/Sermões (4430)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->A Vida É uma Escola -- 05/02/2018 - 00:00 (Lita Moniz) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

      A Vida é uma Escola
       A vida é uma escola
       que se leva na sacola.
       Mas  cuidado!
       Não deixe o fardo ficar
       muito pesado.
       Não aceite tudo como pecado.
       Sente, espalhe à sua volta o que
       estava na  sacola e comece
       a jogar fora.
       A vida que lhe foi dada é a
       primeira coisa que deve ser
       jogada.  Nem era bem vida,
       era um quase nada.
       Guarde só o que de bem
       ela tem.
       Suas derrotas eram escadas por
      onde pensou que dava para subir,
      os degraus eram de vidro e se
      quebraram, os cacos cortaram
      a carne, rasgaram o coração.
      Não fique aí a chorar feito criança.
     Como gente grande, jogue fora.
     Deixe que vão embora.
     Jogue fora arrependimentos, culpas,
     lamentos.
     Quer ver como não são nada?
     Se fosse agora, faria aquilo?
     Claro que não, agora você está sob o domínio
     de outra razão.
     Então não há expiação?
     Pergunte ao outro " eu" porque morreu.
     Ou então por que tanta demora para ir embora?
     Fernando Pessoa estava certo:
     Somos muitos “ Eus” cada um erra e acerta,
     mas foi aquele outro “ Eu” não eu.
     Jogue fora falsos amigos.
     Deixe só os que vieram para somar,
     são bem poucos, não vão pesar.
     Ai! Quanta ilusão, só tranqueira a aumentar
     a canseira.
     Aprenda a não usar os outros como bengala.
     Seja forte. Se a sacola ficar leve, logo, logo
     vai chegar ao topo do seu Monte Horeb.
     Jogue fora ódio, raiva rancor, desamor e o
     que mais preciso for.
     Seja Deus em ação,  pratique aceitação.
     Eles são como são.
     Jogue fora o tempo desperdiçado,
     as marcas do passado.
     Era tempo de travessia.
     Acorda! Já é dia.
     Agora jogue também a sacola fora.
    Troque-a por outra de cores serenas,
    de seda pura.
   
. Agora não sou mais “ Eu”
 Já sou  outra criatura.
                                  Lita Moniz

 

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 6Exibido 35 vezesFale com o autor