Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
141 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56012 )
Cartas ( 21109)
Contos (12422)
Cordel (9783)
Crônicas (21647)
Discursos (3119)
Ensaios - (9949)
Erótico (13188)
Frases (41098)
Humor (17622)
Infantil (3597)
Infanto Juvenil (2324)
Letras de Música (5441)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136581)
Redação (2884)
Roteiro de Filme ou Novela (1047)
Teses / Monologos (2382)
Textos Jurídicos (1914)
Textos Religiosos/Sermões (4451)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->E Queria Tanta Coisa... -- 03/05/2018 - 21:21 (Lita Moniz) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Resultado de imagem para dez ladroes da sua energia

                                   Nada

                 Desencantos, desenganos, e tudo que
                 acaba em danos deixou de ser.

                 Nada mais já faz sentido.
                 Expulsei  do meu pensar.
                 E queria tanta coisa...

                 Agora não quero nada.
                 E foi por nada querer que a tal
                 felicidade veio à minha porta bater.

                 Claro que a deixei entrar.
                 Chegou aqui tão cansada.
                 Deixem-na  descansar.

                 Tanta gente a lhe pedir coisas reles,
                  sem valor.
                  E querem que a felicidade lhes faça essa vontade.

                  Pedem dinheiro para comprar ilusão,  se fosse pão...
                  Pedem um corpo sarado para marcarem um encontro
                  com o pecado.

                  Pedem para a felicidade realizar o que  andam  a sonhar.
                  Esquecem que a medida do sonhar é proporcional à
                  capacidade de os realizar.

                   Enquanto pedem saúde andam a se intoxicar com
                   alimentos que os vêm prejudicar.
                    Pedem paz para o mental em meio ao vendaval.

                    Pedem socorro para o mundo, enquanto lá no
                    fundo andam alimentar cobras que os hão de picar.
                    Pedem, pedem sem parar.

                    A felicidade existe, mas está triste.
                    Deixem-na descansar.
                    Manda-lhes um recado:

                    Não peçam por pedir.
                    Deixem o supérfluo de lado.
                    Enxuguem a lista.


                     Até chegar ao bem pouco ou quase nada.
                     Que fique ali só a essência. O potencial que cada
                      um tem para conseguir o que lhe convém.

                      Quando já nada esperar de ninguém,
                      a felicidade vai bater
                      em sua porta também.

                                                           Lita Moniz

 

                     

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 6Exibido 29 vezesFale com o autor