Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
51 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55322 )
Cartas ( 21071)
Contos (12178)
Cordel (9606)
Crônicas (21333)
Discursos (3113)
Ensaios - (9920)
Erótico (13145)
Frases (40229)
Humor (17570)
Infantil (3576)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5419)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135945)
Redação (2881)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4238)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Teses_Monologos-->Monólogo Anjus perfectus -- 15/11/2003 - 14:48 (Leonardo Koury Martins) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Anjus perfectus
-Monólogo-



Cai a um desespero
De não encontrar as respostas necessárias que um dia pensei.
Que eu pensei encontrar nos teus olhos e por isso caiu a minha primeira lágrima, um drama, um desespero, que eu me perdi a cada aclamação.

Sofri por tempos e tempos e menti não expressando essa minha dor que oprime a minha alma e me faz sujeitar a dizer que existe felicidade em meu rosto.

Alguns vieram a perceber esse fato e talvez por isso eu gostaria de levar meu grito ao infinito da dramaturgia, mostrando que sofro, sofro por dentro.

Cai ao meu coração.

Queira Deus que um dia eu defronte aqueles que em mim não acreditaram para que eles entendessem que um poeta ama de verdade e quer que essa felicidade saia da falsa face e dos falsos versos que querem expressar o que não sinto.

Quero que aja uma musa real que me inspire a ponto de descrever como morreria sem teus lábios ou que acabasse com minhas lágrimas em um só toque, ou em uma só palavra de carinho.

Quero mostrar a todos que o amor pode ir além dos versos, somente a chegada de uma das partes e que aquele sorriso de contentamento me cale e que nossas bocas já façam tudo que os versos nem precisaram descrever.

Que aquele que diga algo contra se redima, pois para mim somente importará o que vir da boca da minha amada, aquela que acabará com minhas dores.
Com as dores do mundo
Que acumulo em meu peito.
Digo que quero você doce amada.
Que não haverá redenção sem que eu olhe aos teus lindos olhos.
Sem que eu escute de você uma palavra como um eu te amo.

Ai sim, depois disso escutar,
Toda e qualquer frase contrária de outros não servirão para mudar a minha face que de tamanha alegria destacará
Um sorriso meu.

Serei tão grato por aqueles momentos que me contentarei nesse te amo e o viverei ao eterno, mas se depois da declaração o destino ou a morte a levar, saibas que lutarei por ter de volta esse sentimento tão seu.

E saiba que nem mesmo aquele que se diz destino ou se julga morte nos separaram mais, nem si quer obedecerei às ordens de Deus.

Irei ao teu lado ficar.

Jamais irei deixar depois dessas tuas palavras o tempo nos separar.

Pois o amor é assim:
Único, grandioso e sincero.
Se fores querer o meu amor,
Saibas que o teu amor,
Também quero.

Leonardo Koury Martins
Poeta, escritor, dramaturgo.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui