Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
138 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56471 )
Cartas ( 21122)
Contos (12490)
Cordel (9844)
Crônicas (21810)
Discursos (3123)
Ensaios - (9984)
Erótico (13198)
Frases (41502)
Humor (17697)
Infantil (3604)
Infanto Juvenil (2328)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (136959)
Redação (2885)
Roteiro de Filme ou Novela (1048)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4478)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Canudo de Papel -- 20/07/2018 - 18:00 (Luciana do Rocio Mallon) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Canudo de Papel
Eu sou o canudo de papel
Reciclado que vai para o céu!
Não use o canudo de plástico
Porque ele não é fantástico

O canudo de plástico polui a natureza
E mata as tartarugas do mar
Que se engasgam com certeza
Com o plástico de arrepiar
Chegando ao óbito sem sutileza
No brilho do Sol ou na luz do luar!

Em vez de usar o canudo de plástico
Utilize o humilde canudo de papel
Porque sou reciclável e mágico
Com a alma suave e nada cruel

Você pode até escrever um poema
No meu corpo de papel franco
Com a caneta que resolve o problema
De um jeito calmo, tranquilo e brando

Na festa de aniversário ou na lanchonete
Sou canudo de papel que, da natureza, é tiete
Por isto na balada ou no show quero ser a nova vedete.
Luciana do Rocio Mallon

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui