Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
136 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56735 )
Cartas ( 21128)
Contos (12527)
Cordel (9866)
Crônicas (21902)
Discursos (3121)
Ensaios - (10002)
Erótico (13200)
Frases (41767)
Humor (17750)
Infantil (3605)
Infanto Juvenil (2334)
Letras de Música (5450)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137082)
Redação (2887)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4528)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->RENÚNCIA -- 30/07/2018 - 18:53 (Nelson de Medeiros Teixeira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

RENÚNCIA

-Por que tanto amor?

Perguntei nesta manhã à natureza
Que amanheceu coberta de tristeza
Vertendo lágrimas de uma dor quase incontida...

-De onde vem tanta dor?

Ela me respondeu num sussurro entristecido:
- Vem de longe, de um mundo atrás já vivido
E que ousaste buscar nesta vida...

-Mas, que estranho amor é este sem fim?

Perguntei à tarde silente e serena
Que morria no fim do céu, lânguida e amena,
Matizando de vermelho o horizonte.

-Desde quando habita em mim?

-Desde o primeiro entardecer no mundo
Quando juntos, em êxtase profundo,
Dois corações se separaram num instante...

-E por que a tudo resiste?

Indaguei da noite resplendente
Que derramava seu luar resplandecente
Sobre minh'alma presa em desventura.

-De onde vem esta saudade triste?

Disse-me a noite de prata engalanada:
-Almas gêmeas que se perdem na estrada
Ficam escravas deste amor triste e profundo.
Pra se encontrarem um dia novamente,
Hão que nascer e renascer diuturnamente
Com muita renúncia no mundo!

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 2Exibido 52 vezesFale com o autor