Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
118 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56608 )
Cartas ( 21127)
Contos (12502)
Cordel (9854)
Crônicas (21849)
Discursos (3121)
Ensaios - (9995)
Erótico (13199)
Frases (41605)
Humor (17731)
Infantil (3604)
Infanto Juvenil (2328)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137016)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4496)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->OLHOS CINZA -- 23/08/2018 - 22:09 (Nelson de Medeiros Teixeira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

SONETO AOS OLHOS CINZA

Eu queria compor uma ode, uma elegia,
Para exaltar aquele olhar que existe nela!
Mas da tristeza que eu senti não cantaria
Como Azevedo, Casemiro e Varela...*

De Tomás **, o lirismo, prenhe de magia,
Eu colaria tudo que s!ualma anela!
Seria uma canção de amor e de alegria,
Sem a amargura que eu senti nos olhos dela...

Mas me saiu*** este soneto neste instante,
Quando lembrei daquele olhar tão penetrante
Que impressionou-me e imaginar me fez até,

Que tal olhar fora pintado noutra era
Por um artista residente em outra esfera,
De tão bonito e apaixonante que ele é!









* Alvares de Azevedo, Casemiro de Abreu e Fagundes Varela
** Tomáz Antonio Gonzaga, poeta português, embora inconfidente, cujo pseudônimo era Dirceu e que fazia liras de amor à Marília, cuja identidade verdadeira era Maria Dorotéa Joaquina de Seixas, na então capital do província do Brasil: Vila Rica, hoje Ouro Preto-MG.
***- Licença poética.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 2Exibido 44 vezesFale com o autor