Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
40 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56307 )
Cartas ( 21150)
Contos (12562)
Cordel (9930)
Crônicas (22048)
Discursos (3130)
Ensaios - (9088)
Erótico (13315)
Frases (42732)
Humor (18165)
Infantil (3686)
Infanto Juvenil (2480)
Letras de Música (5460)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137615)
Redação (2901)
Roteiro de Filme ou Novela (1050)
Teses / Monologos (2384)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4589)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Presunçoso* -- 03/12/2018 - 21:19 (Benedito Pereira da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Presunçoso*





Que forma luminosa me acompanha

quando, entre o lusco e o fusco, bebo a voz

do meu tempo perdido, e um rio banha

tudo o que caminhei da fonte à foz?





Dos homens desde o berço enfrento a sanha

que os difere da abelha e do albatroz.

Meu irmão, meu algoz! No perde-e-ganha

quem ganhou, quem perdeu, não fomos nós.





O mundo nada pesa. Atlas, sinto

a leveza dos astros nos meus ombros.

Minha alma desatenta é mais pesada.





Quer ganhe ou perca, sou verdade e minto.

Se pergunto, a resposta é dos assombros.

No sol a pino finjo a madrugada.





* Ledo Ivo. Maceió, AL, 18/02/1924.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 23Exibido 30 vezesFale com o autor