Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
84 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56416 )
Cartas ( 21156)
Contos (12573)
Cordel (9948)
Crônicas (22079)
Discursos (3130)
Ensaios - (8871)
Erótico (13328)
Frases (42857)
Humor (18219)
Infantil (3699)
Infanto Juvenil (2512)
Letras de Música (5461)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137707)
Redação (2905)
Roteiro de Filme ou Novela (1051)
Teses / Monologos (2384)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4608)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Na glorificação de Bilac* -- 02/01/2019 - 19:20 (Benedito Pereira da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Na glorificação de Bilac*





Como é bom elogiar quando nasce elogio

De um entusiasmo assim, de uma emoção sincera:

Corre sobre o papel a tinta como um rio

A correr na caudal que o declive acelera!





Os vocábulos vêm espontâneos a fio,

Como os sorrisos sãos que um são deleite gera!

Rebenta o aplauso em nós, vigoroso e sadio,

Como rebenta a flor em plena primavera!





Eis por que sou feliz em ver glorificado

Fora da inveja hostil, do despeito perverso,

O prosador querido, o poeta muito amado!





Da arte, no sangue real tens o teu estro imerso;

Porém, não basta, Mestre! um simples principado

- A quem é rei na prosa e imperador no verso!





* Emílio de Menezes (1867-1918), in "Antologia de Poetas Brasileiros", 7ª edição, São Paulo (SP): Logos/Minox, 1966, p. 164.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 23Exibido 42 vezesFale com o autor