Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
41 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56424 )
Cartas ( 21156)
Contos (12574)
Cordel (9961)
Crônicas (22080)
Discursos (3130)
Ensaios - (8871)
Erótico (13328)
Frases (42863)
Humor (18223)
Infantil (3700)
Infanto Juvenil (2513)
Letras de Música (5461)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137711)
Redação (2905)
Roteiro de Filme ou Novela (1051)
Teses / Monologos (2384)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4608)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Fim de caso -- 23/02/2019 - 08:30 (paulino vergetti neto) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


Fim de caso







E nas plúmbeas sombras de certo desalento,

e em tuas loucas despedidas,

com a alma desigual a tantas outras

e mesmo tendo eu beijado muito tua boca,

permaneço réu de boca seca,

filho de raro amor que assombra.



Amar é diferente disso,

é compor-se nos doces instantes,

Infinitamente pequenos,

como os orgasmos dos colibris

ou o primeiro passo dado por um zíngaro.



Te amei, soube ter te amado, despedi-me tonto

e a morte me transformou em nada amável,

talvez como castigo reprovável,

ação injustificável para um coração teimoso.



O espírito do desejo é atemporal

como o gozo do prazer desfeito em nada mais.



Perdoe-me se te amei:

era para ter apenas te abraçado...



https://www.recantodasletras.com.br/poesias-de-desamor/6581974



Poema inédito (23/02/2019)

Paulino Vergetti

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 18Exibido 31 vezesFale com o autor