Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
40 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56315 )
Cartas ( 21150)
Contos (12564)
Cordel (9932)
Crônicas (22050)
Discursos (3130)
Ensaios - (9099)
Erótico (13315)
Frases (42747)
Humor (18170)
Infantil (3689)
Infanto Juvenil (2485)
Letras de Música (5460)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137623)
Redação (2903)
Roteiro de Filme ou Novela (1050)
Teses / Monologos (2384)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4590)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Versos íntimos* -- 12/03/2019 - 22:43 (Benedito Pereira da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Versos íntimos*

Vês?! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão – esta pantera –
Foi tua companheira inseparável!



Acostuma-te à lama que te espera!
O homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.



Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.



Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija.



* Augusto dos Anjos [Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos, 20/04/1884-12/11/1914]
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 23Exibido 30 vezesFale com o autor