Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
113 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56837 )
Cartas ( 21161)
Contos (12584)
Cordel (10016)
Crônicas (22154)
Discursos (3133)
Ensaios - (8956)
Erótico (13388)
Frases (43357)
Humor (18384)
Infantil (3751)
Infanto Juvenil (2630)
Letras de Música (5464)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (138035)
Redação (2918)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2394)
Textos Jurídicos (1923)
Textos Religiosos/Sermões (4771)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->SEM MATO nem VIDA -- 12/07/2019 - 01:08 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


SEM MATO NEM VIDA


Sangra cérebro
sangra coração


(ya no es cosa de partido
ni creencia alucinada…)


O que fazer com tanto lixo
que deixaram no quintal?
Sangra o meu Jatobá
sangra a minha Seringueira

Como ser indiferente, 
seguir pagando pela coisa, 
trabalhar e não sonhar
com o lixo que me açoita


respirar... é criminal?


Sangra o lado do meu peito
sangra a voz que não gritar
cai o Cedro no meu solo
o Bambú e o Pau-Brasil


(ya no es cuestión de a veces
ni tal vez ni parecer…)


Sangra o pátio lá de casa
e o que não quiser olhar
sangra a lua
sangra a esquina
sangro eu
por não chorar...


(que ha pasado aqui..

País?)



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 23 vezesFale com o autor