Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
40 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56739 )
Cartas ( 21160)
Contos (12583)
Cordel (10006)
Crônicas (22136)
Discursos (3131)
Ensaios - (8937)
Erótico (13379)
Frases (43217)
Humor (18341)
Infantil (3739)
Infanto Juvenil (2601)
Letras de Música (5463)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137961)
Redação (2915)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2388)
Textos Jurídicos (1922)
Textos Religiosos/Sermões (4729)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Penúria -- 11/08/2019 - 12:51 (Lita Moniz) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

                                   Penúria Lamúria

                            Ciência, filosofia e outras

                                     “ Sofias” mais

                             Nada disto foi capaz de pôr

                                  Fim aos nossos ais

                            Dentro ou fora da pista não há

                                    Salvação à vista

                            Nascemos nus, ensanguentados

                                Crescemos na penúria

                            Rico ou pobre tanto faz, a infância,

                            A adolescência segue no ritmo dos

                            Bancos da escola que mais prepara

                                    Para pedir esmola

                               Ser para valer é  outra história

                            Outros vão para a escola da vida

                            Mais  arriscada, mais atrevida

                            Poucos, muito poucos ou ninguém

                                  Que ali entra se dá bem

                            A carreira escolhida anda a lhe dar

                                      Cabo da vida

                             Não tarda o corpo começa a dar sinais

                                       De outros ais a chegar

                             Penúria, lamúria mais sofrida, mais doída.

                             Entradas e saídas de hospitais e nenhum

                               Será capaz de por fim aos nossos ais

                             O Cérebro cansado de não dar conta do

                                   Recado decreta a absolvição:

                                   Não  lembrarás de mais nada

                                       De nada serás capaz

                              muita dor a pedir o descanso eterno,

                                         a paz que ali se faz.

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 6Exibido 10 vezesFale com o autor