Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
82 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55315 )
Cartas ( 21071)
Contos (12176)
Cordel (9605)
Crônicas (21332)
Discursos (3113)
Ensaios - (9920)
Erótico (13145)
Frases (40224)
Humor (17570)
Infantil (3576)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5418)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135942)
Redação (2881)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4238)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->HISTÓRIAS DE AUDITORIA – LINGUAGEM INADEQUADA -- 22/01/2016 - 04:39 (Dalva da Trindade S. Oliveira (Dalva Trindade)) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Número do Registro de Direito Autoral:145848903550435100

HISTÓRIAS DE AUDITORIA – LINGUAGEM INADEQUADA

 

Em um dos plantões mensais daquela auditora fiscal, na repartição pública, um senhor simpático, entrou na sala, cumprimentou e começou a expor as suas dúvidas, ao mesmo tempo em que fazia os questionamentos que considerava necessários.

 

Após ouvi-lo, atentamente, ela respondeu e explicou com detalhes tudo o que ele deveria ter conhecimento para ajudá-lo a resolver os seus problemas no trabalho, escrevendo o que considerava que iria ajudá-lo a entender mais as suas orientações. Depois desse procedimento, perguntou ao senhor, que prestava atenção a tudo que ela dizia, se entendeu o que foi orientado.

 

Para sua surpresa, educadamente ele agradeceu todo o tempo despendido com as orientações e disse:

- Desculpe doutora! A senhora foi muito educada, gastou muito do seu tempo me explicando o que eu deveria aprender, mas a senhora fala difícil e eu não entendi uma palavra do que a senhora falou.

 

Ela abriu um sorriso franco, pediu desculpas a ele e disse:

- Não tem problema algum. Recomeçamos tudo desde o início...

 Ajustando a linguagem à capacidade de conhecimento e de entendimento daquele senhor, buscou palavras mais simples, populares, e aos poucos repetiu as informações.  Ele saiu de lá contente por ter entendido e com o cuidado que ela teve.

 

Esta foi uma lição importante para aquela auditora que sempre teve uma linguagem com mais expressões menos usuais, em decorrência da prática antiga de leituras diversas e da própria formação educacional.  A partir de então, passou a policiar o que dizia às pessoas nos plantões; chegou ao ponto de abandonar regras básicas da gramática, utilizar diversas gírias, até perceber o erro que cometia e encontrar o meio termo nessa adequação.

 

Dalva Trindade S. Oliveira

(Dalva da Trindade)

22.01.2016

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 2Exibido 171 vezesFale com o autor