Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
39 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56739 )
Cartas ( 21160)
Contos (12583)
Cordel (10006)
Crônicas (22136)
Discursos (3131)
Ensaios - (8937)
Erótico (13379)
Frases (43217)
Humor (18341)
Infantil (3739)
Infanto Juvenil (2601)
Letras de Música (5463)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137961)
Redação (2915)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2388)
Textos Jurídicos (1922)
Textos Religiosos/Sermões (4729)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->FOI INESQUECÍVEL -- 02/08/2007 - 18:55 (Edmar Guedes Corrêa****) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
FOI INESQUECÍVEL

Acompanhei o quanto pude os jogos Pan-americanos. E por fazer parte daquela pequena parcela de brasileiros que dispõe de TV a cabo, pude assistir a maioria das disputas, mesmo aquelas que não foram transmitidas pelas redes de sinal aberto.
É claro que como maioria dos brasileiros, eu também me senti orgulhoso com o número de medalhas conquistadas pelos nossos atletas. E embora soubesse tratar-se de algo quase impossível, também torci como nunca para que o Brasil ficasse à frente de Cuba no quadro de medalhas. Mas agora que o pan acabou é hora de pôr os pés no chão e cair na real. O Brasil só ficou próximo de Cuba porque os jogos eram disputados no Brasil – o que nos dava uma enorme vantagem. Se assim não fosse, teríamos sim brigado até o último dia, medalha a medalha, mas não com Cuba e nem pelo segundo lugar, e sim com o Canadá pela terceira posição.
No entanto, o que fica registrado na história são fatos. E o fato é que quase apanhamos Cuba, tivemos o melhor desempenho em jogos Pan-americanos desde que estes começaram a ser disputados; e nos lembraremos por muito tempo das oito medalhas do Thiago Pereira, do salto da Fabiana Murer, do choro de despedida da Janete, do show das meninas do futebol feminino, da oitava medalha do Hugo Hoyama e de tantos outros momentos inesquecíveis. Se esses momentos serão traduzidos em mais apoio e incentivo ao esporte brasileiro, isso só podemos saber daqui a quatro anos na cidade mexicana de Guadalajara.





LEIA TAMBÉM:
MUDANDO DE NEGÓCIO
ANTES DO CAFEZINHO
GAROTINHO ESPERTO
ATRAVÉS DO ESPELHO
O POETA ESTÉRIL
SEI FALAR DE AMOR
EU PRECISO TE DEIXAR
O POETA SEM LIMITES
ESSAS MULHERES
DEFINIÇÃO DE MULHER
LEMBRANÇAS DE UM AMOR
O HOMEM ATORMENTADO
UMA TRAGÉDIA FAMILIAR
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui