Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
37 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55811 )
Cartas ( 21100)
Contos (12354)
Cordel (9728)
Crônicas (21554)
Discursos (3119)
Ensaios - (9940)
Erótico (13166)
Frases (40884)
Humor (17604)
Infantil (3595)
Infanto Juvenil (2322)
Letras de Música (5433)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136373)
Redação (2882)
Roteiro de Filme ou Novela (1045)
Teses / Monologos (2377)
Textos Jurídicos (1911)
Textos Religiosos/Sermões (4392)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->UMA FAMÍLIA -- 01/04/2017 - 03:13 (PAULO FONTENELLE DE ARAUJO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

O programa religioso da tevê toca a canção “Oração da Família” e repete o refrão: 


 


“Abençoa senhor as famílias, amém!  Abençoa senhor, a minha também...”. 


 


Sílvio acha muita graça da canção, pois dali há uma hora, sairá de sua casa. Seu relacionamento com a esposa está aos cacos e agora, de súbito, escuta este hino religioso celebrando a família. É uma ocorrência que supõe: ou Deus não existe ou ele é muito irônico.


 


Sílvio faz as malas, mas o refrão continua em sua cabeça:


 


“Abençoa senhor as famílias, amém! Abençoa senhor a minha também...” 


 


 A dúvida também permanece na cabeça de Sílvio: a coincidência da canção provará a existência de um Deus irônico. Sílvio chama um táxi pelo telefone, no mesmo momento sua esposa grita do quarto:


 


 - Palhaço! Eu não dependo financeiramente de ti! 


 


Sílvio sente um embrulho no estômago e não quer pensar em mais nada. Depois resolverá a questão dos filhos, a divisão dos bens. Agora não vale a pena qualquer discussão, no entanto, o refrão do hino é uma pendência: 


 


“Abençoa senhor as famílias, amém! Abençoa senhor, a minha também!” 


 


Sílvio coloca na  mala, apenas as coisas essenciais: camisas, cuecas molhadas, uma lâmina de barbear. Pegou todos os documentos e deixou alguns livros. Livros são palavras e mais palavras que ficam mais inúteis na indeterminação de certos momentos. A esposa do quarto ainda tem tempo de dizer:


 


- Eu não vou voltar atrás nada! Porque não saiu antes?


 


Sílvio decide morar na casa de um irmão até organizar alguma coisa em sua vida. Espera a chamada do serviço de táxi que, depois de 15 minutos, avisa estar na porta. Sílvio não olha para trás, mas antes de sair sente a mágoa da esposa por algum motivo. Terá sido dinheiro, o tempo, os vizinhos? Entretanto, o refrão da canção deixa tudo confuso. 


 


“Abençoa senhor as famílias, amém! Abençoa senhor, a minha também!” 


 


Deus realmente não deve existir. Sílvio entra no táxi, depois de cinco minutos, resolve desabafar com o taxista sobre a separação:


 


- Esta mala tem uma razão... Estou deixando a minha mulher depois de dez anos de casado.


 


O taxista ainda responde:


 


- Jesus sabe o que  faz...


 


Sílvio lembrou da canção e assobia o refrão até a casa do irmão que provavelmente não será pego de surpresa. No caminho ele ainda pensa em uma voz alta divina declarando:


 


- Homens sempre devem fazer  vasectomia!


 


DO LIVRO: "TOUROS EM COPACABANA"


 

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 17Exibido 168 vezesFale com o autor